"Brasil não pode abrir mão da energia nuclear"

Presidente da Eletronuclear critica entidades que defendem apenas fontes de energia eólica e solar para o Brasil

23/03/2011 11:34 Pedro Peduzzi
Repórter da Agência Brasil

Brasília - O presidente da Eletronuclear, Othon Luiz Pinheiro da Silva, afirma que não há como o Brasil ser autossuficiente em termos energéticos, fazendo uso apenas de energia eólica e solar. Na avaliação dele, o país não pode abrir mão, até pelas vantagens geográficas que tem, da energia nuclear, apesar dos riscos que ela possa implicar.

“O Brasil precisa de toda forma de energia. Quem diz que o país pode explorar apenas energia eólica e solar não tem o menor conhecimento sobre planejamento energético. É muito amadorismo afirmar isso”, argumentou Othon que participou hoje (23) de uma audiência pública organizada de forma conjunta por diversas comissões do Senado. “A maioria da população brasileira vive em cidades, onde, até [para ter] saneamento, precisa de energia para funcionar”, justificou.

Segundo o presidente da Eletronuclear, a tragédia ocorrida no Japão e a infraestrutura das usinas japonesas são bem diferentes da situação das usinas nucleares brasileiras. “Antes de tudo, entre os terremotos em área popular, o do Japão foi o maior da história”, contextualizou Othon.

“No que se refere à estrutura [das usinas japonesas], as centrais nucleares responderam bem ao terremoto”, disse se referindo ao fato de que os problemas nas usinas japonesas foram em consequência do corte no fornecimento de energia e do aquecimento dos reatores.

Ele acrescentou que o tipo de reator adotado no Brasil é diferente e tem maior nível de segurança. Ele pondera, entretanto, que “não existe nada no mundo 100% seguro, o que buscamos fazer é nunca ficar satisfeitos com a segurança”, explicou. “O que mais matou no Japão foi teto de casa caindo na cabeça das pessoas. Nem por isso se proibirá construir tetos no país.”

Othon reiterou que um terremoto como o do Japão não poderia ocorrer no Brasil. A probabilidade, segundo ele, “é praticamente zero” uma vez que o país está distante das bordas das placas tectônicas. A situação, afirma o especialista, é mais tranquila porque o tipo de sismo do Atlântico Sul não provoca tsunamis, já que as placas da região estão se afastando enquanto as do Japão se chocam. “Além disso, as usinas brasileiras não precisam de eventos externos para resfriar seus reatores”, acrescentou.
 

Edição: Lílian Beraldo
Agência Brasil

 

Notícias

Uso de criptomoedas não significa lavagem de dinheiro

Uso de criptomoedas não significa lavagem de dinheiro 13 de fevereiro de 2019, 15h46 Por Rhasmye El Rafih Não obstante, as moedas virtuais são sofisticadas tecnologias desenvolvidas para favorecer transações financeiras descentralizadas e céleres, sem a necessidade de intermediação por banco ou...
Leia mais

Herdeiro condenado pela Justiça perde o direito à herança? - Exame

Herdeiro condenado pela Justiça perde o direito à herança? - Exame Publicado em: 14/02/2019 Um herdeiro que está preso, condenado pela Justiça, perde seus direitos? Veja a resposta no vídeo de finanças pessoais, com o advogado Samir Choaib, especialista em direito sucessório.   Assista o...
Leia mais

Para a maioria dos magistrados, STF deve se submeter a uma corregedoria

CONTROLE E FISCALIZAÇÃO Para a maioria dos magistrados, STF deve se submeter a uma corregedoria 13 de fevereiro de 2019, 10h25 Por Fernanda Valente Os dados mostram que 95,9% dos juízes ativos de primeira instância são a favor da submissão a uma corregedoria. Confira a pesquisa em Consultor...
Leia mais

A uniformização da jurisprudência e a segurança jurídica

REFLEXÕES TRABALHISTAS A uniformização da jurisprudência e a segurança jurídica 8 de fevereiro de 2019, 8h00 Por Pedro Paulo Teixeira Manus A função institucional do Poder Judiciário é dizer o direito, proporcionando a segurança jurídica aos jurisdicionados. Prossiga em Consultor Jurídico
Leia mais

Telemedicina: CFM abre prazo de 60 dias para contribuições

Telemedicina: CFM abre prazo de 60 dias para contribuições Publicado em 07/02/2019 - 10:49 Por Paula Laboissière - Repórter da Agência Brasil  Brasília O Conselho Federal de Medicina (CFM) abriu prazo de 60 dias para receber contribuições relativas à Resolução nº 2.227/2018, que atualiza...
Leia mais

Plural TJMG - Direito à morte digna

Plural TJMG - Direito à morte digna Publicado em: 07/02/2019 Nos processos de doenças terminais, o que fazer até o dia de morrer? Qual é a diferença entre distanásia e cuidados paliativos? No Brasil, são proibidas as práticas da eutanásia e do suicídio assistido. Mas as pessoas podem se recusar a...
Leia mais

Câmara vai analisar criação de usinas eólicas e solares no mar

05/02/2019 - 17h21 Câmara vai analisar criação de usinas eólicas e solares no mar O Projeto de Lei 11247/18, do Senado, autoriza a implantação de usinas no mar para a geração de energia elétrica a partir de fontes eólica e solar. As plataformas poderão ser instaladas no mar territorial...
Leia mais

APELAÇÃO CÍVEL - EMBARGOS DE TERCEIRO - FILHOS - LEGITIMIDADE ATIVA - SUBSCRIÇÃO DE IMÓVEL SEM A ANUÊNCIA DO CÔNJUGE E DOS DEMAIS PROPRIETÁRIOS - NULIDADE...

Publicado em: 05/02/2019 APELAÇÃO CÍVEL - EMBARGOS DE TERCEIRO - FILHOS - LEGITIMIDADE ATIVA - SUBSCRIÇÃO DE IMÓVEL SEM A ANUÊNCIA DO CÔNJUGE E DOS DEMAIS PROPRIETÁRIOS - NULIDADE - DISTINÇÃO ENTRE SUBSCRIÇÃO E INTEGRALIZAÇÃO - AÇÃO DE RESPONSABILIDADE DOS SÓCIOS DE EMPRESA LIMITADA - PROTEÇÃO...
Leia mais
Dúvidas, consulte as fontes indicadas. Todos os direitos reservados