Combate ao terrorismo e à lavagem de dinheiro terá recursos de mais de R$ 333 mil

Combate ao terrorismo e à lavagem de dinheiro terá recursos de mais de R$ 333 mil

12/09/2012 - 8h05
EconomiaJustiça
Renata Giraldi
Repórter da Agência Brasil

Brasília – O governo federal autorizou a liberação de mais de R$ 333,5 mil para programas de combate à lavagem de dinheiro e terrorismo que contam com parcerias internacionais. O ministro da Fazenda, Guido Mantega, assinou portaria permitindo a liberação do dinheiro, cujos valores são convertidos em dólar norte-americano e canadense, além de euro.

A Portaria nº 307 está publicada na Seção 1, página 18, na edição de hoje (12) do Diário Oficial da União. O texto completo pode ser obtido na página da imprensa nacional https://www.in.gov.br/imprensa/visualiza/index.jsp?jornal=1&pagina=18&data=12/09/2012

Para o Grupo de Ação Financeira contra a Lavagem de Dinheiro e o Financiamento do Terrorismo (Gafi-FAT), o Ministério da Fazenda autorizou a liberação de 90 mil euros, o equivalente a R$ 237,6 mil. O grupo foi criado em 1989 pelo chamado G7 (grupo formado pelos Estados Unidos, o Japão, a Alemanha, o Reino Unido, a França, Itália, o Canadá  e a Rússia).

O Gafi-FAT foi criado em meio a discussões na Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE) e tem o objetivo de propor medidas, desenvolver políticas e promover ações para combater a lavagem de dinheiro e o financiamento do terrorismo.

Para o Grupo de Ação Financeira da América do Sul contra a Lavagem de Dinheiro e o Financiamento do Terrorismo (Gafisud), o Ministério da Fazenda autorizou a liberação de US$ 30 mil, o equivalente a R$ 60,5 mil. 

O grupo é uma organização intergovernamental de base regional, que reúne os países da América do Sul por meio de ações conjuntas cujo objetivo é o combate à lavagem de dinheiro e ao financiamento do terrorismo. A ideia é assumir metas para o aperfeiçoamento contínuo das políticas nacionais relacionadas aos temas e aprofundar os mecanismos de cooperação entre os países-membros.

Para o grupo denominado Egmont, o Ministério da Fazenda autorizou a liberação de 19 mil dólares canadenses, o equivalente a R$ 39,4 mil. O grupo reúne mais de 100 países com suas unidades de Inteligência Financeira (UIF). O nome Egmont refere-se ao palácio belga no qual foi formalizada a criação do grupo. O objetivo é o combate ao terrorismo e à lavagem de dinheiro.

 

Edição: Graça Adjuto
Agência Brasil
 

Notícias

Filha pode trocar de paternidade se achou o pai biológico, diz TJ-RS

VONTADE DO FILHO Paternidade socioafetiva não impede direito à herança de pai biológico 9 de dezembro de 2018, 9h17 Por Jomar Martins Por isso, a 8ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul manteve sentença que deu procedência a uma investigatória que tramita na Comarca de...
Leia mais

Jurisprudência mineira - Apelação cível - Anulatória de aval - Garantia prestada para a consecução da atividade empresarial - Outorga uxória - Dispensável

Jurisprudência mineira - Apelação cível - Anulatória de aval - Garantia prestada para a consecução da atividade empresarial - Outorga uxória - Dispensável Publicado em: 04/12/2018 APELAÇÃO CÍVEL - ANULATÓRIA DE AVAL - GARANTIA PRESTADA PARA A CONSECUÇÃO DA ATIVIDADE EMPRESARIAL - OUTORGA UXÓRIA -...
Leia mais

Judicial ou extrajudicial?

Judicial ou extrajudicial? Gisele Nascimento Consigna ainda que o inventário iniciando judicialmente pode ser convertido em extrajudicial para evitar a demora no procedimento, caso assim, acordem os interessados. sexta-feira, 30 de novembro de 2018 Inventário pode ser definido como uma listagem de...
Leia mais

Os 10 erros de português mais cometidos pelos brasileiros

Os 10 erros de português mais cometidos pelos brasileiros Equipe de linguistas revela equívocos mais comuns em aplicativo de idiomas que ensina português também para nativos. Por BBC 31/03/2018 13h43  Atualizado há 7 meses "Vi no Facebook uma mulher dizendo que casaria com o primeiro homem...
Leia mais

Diminuir população prisional é um desafio, dizem especialistas

CONTINGENTE INJUSTIFICÁVEL Diminuir população prisional é um desafio, dizem especialistas 20 de novembro de 2018, 11h43 Na avaliação do criminalista Sergio Gurgel, a maior dificuldade no que diz respeito à questão da superlotação está na contradição dos discursos demagógicos relacionados à...
Leia mais
Dúvidas, consulte as fontes indicadas. Todos os direitos reservados