DataSenado: brasileiro quer gestão mais eficiente para a saúde

06/10/2011 - 19h35

A saúde pública brasileira tem que melhorar e precisa de uma gestão mais eficiente. Essa é a opinião de 70% dos entrevistados em pesquisa nacional do DataSenado, unidade de pesquisa de opinião do Senado Federal.

De acordo com a pesquisa, o cidadão brasileiro também entende que o governo já tem dinheiro suficiente para melhorar a qualidade da saúde pública. Somente 26% dos entrevistados defendem mais recursos para o setor. Entre esse grupo, apenas 11% aceitariam a volta de um imposto para financiar ações de saúde e 53% são a favor do aumento de impostos sobre cigarros e bebidas alcoólicas. De todos os que responderam à pesquisa, somente 2,95% querem a criação de um novo imposto como a antiga Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF).

Veja mais


Esta matéria contém recursos multimídiaInfo | Mais eficiência sem novo imposto

 

O DataSenado também quis saber a opinião de quem usa os serviços de saúde pública. Um total de 34% dos entrevistados disse que não usa, recorrendo apenas aos planos privados, enquanto 65% declararam que recorrem ao atendimento na rede pública. A Região Norte é a que apresenta os maiores índices de satisfação da população com a rede pública de saúde (56%), enquanto a Região Nordeste é a mais crítica: apenas 29% se declaram satisfeitos.

A pesquisa também apurou que 90% da população julgam muito importantes três projetos em tramitação no Senado e que têm relação direta com a saúde: o que pune administradores da saúde pública que não cumprirem com suas obrigações (PLS 190/2009), o que proíbe o fumo em lugares fechados em todo o país (PLS 315/2008) e a proposta que obriga os planos de saúde a cobrirem custos com alguns remédios contra o câncer (PLS 352/2011).

O DataSenado entrevistou 1.290 pessoas, com mais de 16 anos e acesso a telefone fixo, em todos os estados, entre os dias 16 de setembro e 3 de outubro. A margem de erro da pesquisa é de 3 pontos percentuais. Para ver a pesquisa completa, clique aqui.

Tércio Ribas Torres / Agência Senado

Notícias

Uso de criptomoedas não significa lavagem de dinheiro

Uso de criptomoedas não significa lavagem de dinheiro 13 de fevereiro de 2019, 15h46 Por Rhasmye El Rafih Não obstante, as moedas virtuais são sofisticadas tecnologias desenvolvidas para favorecer transações financeiras descentralizadas e céleres, sem a necessidade de intermediação por banco ou...
Leia mais

Herdeiro condenado pela Justiça perde o direito à herança? - Exame

Herdeiro condenado pela Justiça perde o direito à herança? - Exame Publicado em: 14/02/2019 Um herdeiro que está preso, condenado pela Justiça, perde seus direitos? Veja a resposta no vídeo de finanças pessoais, com o advogado Samir Choaib, especialista em direito sucessório.   Assista o...
Leia mais

Para a maioria dos magistrados, STF deve se submeter a uma corregedoria

CONTROLE E FISCALIZAÇÃO Para a maioria dos magistrados, STF deve se submeter a uma corregedoria 13 de fevereiro de 2019, 10h25 Por Fernanda Valente Os dados mostram que 95,9% dos juízes ativos de primeira instância são a favor da submissão a uma corregedoria. Confira a pesquisa em Consultor...
Leia mais

A uniformização da jurisprudência e a segurança jurídica

REFLEXÕES TRABALHISTAS A uniformização da jurisprudência e a segurança jurídica 8 de fevereiro de 2019, 8h00 Por Pedro Paulo Teixeira Manus A função institucional do Poder Judiciário é dizer o direito, proporcionando a segurança jurídica aos jurisdicionados. Prossiga em Consultor Jurídico
Leia mais

Telemedicina: CFM abre prazo de 60 dias para contribuições

Telemedicina: CFM abre prazo de 60 dias para contribuições Publicado em 07/02/2019 - 10:49 Por Paula Laboissière - Repórter da Agência Brasil  Brasília O Conselho Federal de Medicina (CFM) abriu prazo de 60 dias para receber contribuições relativas à Resolução nº 2.227/2018, que atualiza...
Leia mais
Dúvidas, consulte as fontes indicadas. Todos os direitos reservados