ARTIGO: "FAKE NEWS, BOTS, AS ELEIÇÕES PRESIDENCIAIS E OS NOTÁRIOS" - POR KARIN RICK ROSA

Origem da Imagem/Fonte: Colégio Notarial do Brasil SP

ARTIGO: "FAKE NEWS, BOTS, AS ELEIÇÕES PRESIDENCIAIS E OS NOTÁRIOS" - POR KARIN RICK ROSA

Publicado em: 04/05/2018

Quem nunca ouviu o termo “Fake News”? A notifica falsa não é uma novidade deste século. Por que, então, o termo tem se tornado cada vez mais comum nas conversas e noticiários? A resposta pode estar relacionada ao fenômeno da comunicação pelas mídias sociais somado ao fato de que hoje somos seres conectados durante as vinte e quatro horas do nosso dia. Temos um relógio que conecta e compartilha informações com o celular, que conecta e compartilha com o notebook, que conecta e compartilha com o rádio do carro, que conecta e compartilha com a porta da garagem, com as luzes da casa, com a cafeteira, e assim por diante. Neste mundo de conexão estão as informações que recebemos e transmitimos, por vezes devidamente direcionadas ao perfil de consumidor que somos cada um de nós. É tudo personalizado e único, construído e alimentado a partir do desejo individual. As notícias são relacionadas aos assuntos que interessam e, coincidentemente, os anúncios que pipocam na tela oferecem exatamente o que é preciso naquele momento. Quanta sinergia! SQN.

Com milhões de pessoas conectadas, a transmissão das informações de fonte privada para fonte privada se multiplicou exponencialmente. Todo grupo de “whatsapp” tem um integrante que está ali para postar a notícia mais bombástica da última meia hora antes de todos. Cinco minutos depois, recebemos aquela mesma notícia/link/vídeo em todos os demais grupos de “whatsapp”. É o comportamento manada. No “facebook” a opinião pessoal, que antes era dividida na mesa de bar, com uma meia dúzia de amigos, agora é emitida para os milhares de “facefriends”, que, seguindo a lógica de comportamento das redes sociais, imediatamente responde curtindo, não curtindo, amando, odiando, concordando ou discordando. Não precisa muito para concluir que tudo isso é terreno fértil para as “Fakes News”, e elas se espalham em todos os segmentos, desde a as falsas notícias de morte de pessoas famosas, o sorteio de passagens aéreas, até as eleições presidenciais.

O problema com as notícias falsas não se limita ao desastroso fato de várias pessoas as replicarem para seus amigos, que replicam para outros amigos, e assim por diante. Acontece que, junto com as “Fake News” ou além delas, há “Bots”. A essa altura você deve estar se perguntando o que são “Bots”. Podemos dizer que Bots não tem pernas, não tem asas e não são necessariamente bons ou maus. “Bot”, redução para “robots”, é um programa de computador desenhado para desenvolver tarefas automatizadas. Na internet eles são atores não humanos que frequentemente tentam se passar por pessoas reais.

A combinação “Bots” e “Fake News” está mudando a política no mundo. Aconteceu na última eleição presidencial dos Estados Unidos e da França. De acordo com o site The Next Web, aproximadamente metade dos seguidores de Donald Trump no Twitter são falsos. Donald Trump já respondeu a um comentário feito por um “Bot” em seu Twitter. O site Independent noticiou que “Bots” russos retuitaram Donald Trump dez vezes mais que Hillary Clinton. No dia 20/04/2017 a Revista Época publicou em seu site a seguinte manchete: “Como a indústria de notícias falsas dominou a eleição da França. Os franceses escolhem seu novo presidente numa campanha dominada por notícias falsas e escândalos. O vale-tudo virou padrão mundial.”

No contexto eleitoral “Bots” são usados para gerar cortinas de fumaça, orientar discussões de certos temas, atacando políticos, criando rumores e explorando o chamado “comportamento de manada”. A Lei 9.504/97, que estabelece as normas para as eleições. A BBC Brasil publicou no dia 8/12/2017 a seguinte notícia: “Exclusivo: investigação revela exército de perfis falsos usa dos para influenciar eleições no Brasil”. Imaginar que a Justiça Eleitoral conseguirá controlar as “Fake News” parece realmente uma ilusão.

Neste ambiente que promete tumulto a ata notarial poderá ter grande valor, e não apenas como meio de prova para apuração de responsabilidade de envolvidos na criação de notícias falsas, mas também para auxiliar durante o processo eleitoral, na fiscalização e condução de medidas de controle como retirada do ar de perfis, sites, blogs, a cargo da Justiça Eleitoral. E para finalizar, de acordo com o site do Estadão, uma pesquisa do MIT publicada na Science apontou que as “Fakes News” têm 70% mais de chance de viralizar que as notícias verdadeiras. Então, tome cuidado com o que você lê e compartilha.

*Karin Rick Rosa é advogada e assessora jurídica do Colégio Notarial do Brasil. Mestre em Direito e especialista em Direito Processual Civil pela Unisinos. Professora de Direito Civil Parte Geral e de Direito Notarial e Registral da Unisinos. Professora do Instituto Brasileiro de Estudos Jurídicos. Professora da Escola Superior da Advocacia/RS. Professora convidada do Instituto Internacional de Ciências Sociais (SP). Coordenadora da Especialização em Direito Notarial e Registral da Universidade do Vale do Rio dos Sinos. Autora e organizadora de obras jurídicas.

Fonte: Jornal do Notário
Extraído de Colégio Notarial do Brasil Seção São Paulo

Notícias

ARTIGO – DIREITO A HERANÇA EM SEPARAÇÃO DE BENS – POR FÁBIO GALLO

ARTIGO – DIREITO A HERANÇA EM SEPARAÇÃO DE BENS – POR FÁBIO GALLO No casamento com regime parcial de bens o cônjuge é meeiro no patrimônio comum do casal Sou casado com comunhão parcial de bens e ainda não tenho filhos, mas gostaria de saber como ficaria a herança no caso de meu falecimento. O que...
Leia mais

Casamento: sete dicas para proteger os bens em casamentos

Casamento: sete dicas para proteger os bens em casamentos Recomendações são do advogado Paulo Lins e Silva O Globo 06/10/2018 - 04:30 / 06/10/2018 - 10:47 O advogado Paulo Lins e Silva esclarece quais são os direitos dos noivos, de acordo com o regime adotado. No regime de separação de bens...
Leia mais

A admirável conquista da verdade

A admirável conquista da verdade 12:00 / 06 de Outubro de 2018  ATUALIZADO ÀS 12:02 O Código Clóvis Atualizado de fato contemplou no campo do Direito de Família adequado tratamento modernizador. Vale neste ramo apontar a acolhida generosa refletida no reconhecimento da união estável, ditada...
Leia mais

Homem que mora em imóvel herdado deve pagar aluguel a irmãos

Sucessão Homem que mora em imóvel herdado deve pagar aluguel a irmãos Decisão é da 9ª câmara de Direito Privado do TJ/SP. quinta-feira, 4 de outubro de 2018 Herdeiro que recebeu 25% de imóvel por meio de inventário e habita nele isoladamente deve pagar aluguel devido a irmãos. Decisão é da 9ª...
Leia mais

Um em cada três casamentos termina em divórcio no Brasil

Um em cada três casamentos termina em divórcio no Brasil Ausência de diálogo, visão de mundo diferente e a falta de bom humor no relacionamento são fatores que colaboram para o fim de um casamento BRASIL  Daniel Cruz 26/09/2018 - 09h47 (Atualizado em 26/09/2018 - 12h37) Origem da...
Leia mais

Consumidor não é obrigado a informar CPF nas compras

25/09/18 09:01 Atualizado em 25/09/18 16:41 Consumidor não é obrigado a informar CPF nas compras O Cadastro de Pessoas Físicas (CPF) é um dos registros mais importantes dos consumidores. O número, atualmente, também tem sido utilizado como importante fonte de dados para diversos estabelecimentos...
Leia mais

Hipóteses de perda do poder familiar são ampliadas

Hipóteses de perda do poder familiar são ampliadas 25/09/2018 - 08h00 A nova lei altera o Código Penal, o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) e o Código Civil. FOTO: Luiz Silveira/Agência CNJ Foi sancionado nesta segunda-feira (24/09), pelo ministro Dias Toffoli, presidente do Conselho...
Leia mais

Enviar fotos íntimas por WhatsApp é crime?

Enviar fotos íntimas por WhatsApp é crime? POR FELIPE PAYÃO | @felipepayaoEM SEGURANÇA 24 SET 2018 — 11H59 Origem da Imagem/Fonte: Tecmundo Não será extremo se o termo “nudes” entrar em algum dicionário no futuro: em época de WhatsApp, as fotos íntimas receberam seu significado próprio....
Leia mais
Dúvidas, consulte as fontes indicadas. Todos os direitos reservados