Casal divorciando terá que entregar senhas do facebook à Justiça

Juiz ordena que casal divulgue suas senhas do Facebook para conseguirem divórcio


Sentença tem como intenção evitar que possíveis evidências sirvam como acusações, o que atrapalharia a separação da dupla

14 de Novembro de 2011 | 10:11h

Diferente dos divórcios tradicionais que, na maioria das vezes, terminam com a divisão de bens, um casal que está em processo de separação foi obrigado a dividir muito mais do que apenas investimentos, carros ou animais de estimação. Segundo a sentença de um juiz de Connecticut (Estados Unidos), a dupla terá de alterar e entregar as senhas de suas respectivas contas nas redes sociais para dar continuidade ao divórcio.

No final de setembro, o juiz Kenneth Shluger ordenou que os advogados de Stephen e Courtney Gallion trocassem as senhas de seus clientes no Facebook e outros sites de relacionamento. O objetivo seria para evitar que possíveis evidências servissem de ações judiciais ou acusações futuras, o que atrapalharia o processo de separação do casal.

Mas o principal motivo teria sido outro. Stephen afirmou que sua esposa possuía, em um computador compartilhado, informações que podiam incriminá-la durante o divórcio - por exemplo, relatos sobre como Courtney se sentia em relação aos próprios filhos, além da confissão de que seria incapaz de cuidar deles. Com base nessa afirmação, Stephen pediu ao juiz que sua (até então) mulher divulgasse as senhas de suas contas nas redes sociais para averiguar o depoimento.

Ao saber disso, porém, Courtney teria mandado uma mensagem para um amigo, pedindo que ele alterasse suas senhas e apagasse alguns dados, além de acionar seus advogados - que entraram com o mesmo recurso solicitado pelo ex-marido. Foi quando o juiz deu a sentença para que ambos trocassem suas respectivas senhas e as divulgassem como parte do divórcio.

De acordo com o advogado de Stephen Gallion, o processo ainda está em andamento, e afirma que foi doloroso para seu cliente "invadir" as contas de sua ex-mulher em sites de relacionamento. "Seria doloroso para muitos esposos ver o que seus cônjuges estão fazendo", respondeu ele.

Extraído de Olhar Digital

Notícias

TJ-SP admite extinção de usufruto de imóvel arrematado em leilão

EFETIVIDADE DA EXECUÇÃO TJ-SP admite extinção de usufruto de imóvel arrematado em leilão 17 de outubro de 2018, 10h29 Por Tadeu Rover Segundo o processo, para fraudar a execução, o devedor simulou uma doação do imóvel aos filhos, reservando o usufruto vitalício a ele e à sua mulher. Leia em...
Leia mais

Homem deve indenizar ex-mulher por traição

Dano moral Homem deve indenizar ex-mulher por traição Juíza considerou que a infidelidade se deu com pessoa que era considerada da família e que trabalhava na empresa pertencente à autora. quinta-feira, 17 de janeiro de 2019 A juíza de Direito Clarissa Somesom Tauk, da 5ª vara da Família e...
Leia mais

Previdência para amantes: descalabro jurídico

Previdência para amantes: descalabro jurídico          Regina Beatriz Tavares da Silva* 17 Janeiro 2019 | 06h00 Em vários artigos anteriores (como aqui, aqui e aqui) já salientei a importância do julgamento pelo Supremo Tribunal Federal (STF) dos Recursos...
Leia mais

Artigo – É meu, seu ou nosso? – Por Marcia Dessen

Artigo – É meu, seu ou nosso? – Por Marcia Dessen Evite conflitos e escolha, antes de casar, o regime da comunhão de bens Nem sempre um casal decide e planeja o casamento. Muitas vezes, acontece aos poucos, e, de repente, estão casados ou vivendo em união estável. Independentemente da forma ou da...
Leia mais

O divórcio do homem mais rico do mundo e o pacto antenupcial

O divórcio do homem mais rico do mundo e o pacto antenupcial          Lucas Marshall Santos Amaral 11 Janeiro 2019 | 04h00 Jeff Bezos e MacKenzie Bezos estão casados há 25 anos. Foi nesse período que ele se tornou o homem mais rico do mundo. Porém, a vida de...
Leia mais

Afeto como elemento basilar da relação familiar

Afeto como elemento basilar da relação familiar    10/01/19 ÀS 00:00 André Vieira Saraiva de Medeiros A família sofreu inúmeras modificações ao longo dos anos e – por consequência do processo evolutivo – a concepção de parentalidade foi extensivamente alterada, sob influência direta da...
Leia mais

A opção extrajudicial de recuperação de empresas

A opção extrajudicial de recuperação de empresas 7 de janeiro de 2019, 6h24 Por Murilo Aires Na recuperação extrajudicial não há intervenção do Ministério Público, nomeação de administrador judicial nem mesmo prazo mínimo de dois anos de supervisão judicial. Confira em Consultor Jurídico
Leia mais
Dúvidas, consulte as fontes indicadas. Todos os direitos reservados