Clipping – Cenário MT – Quais são os direitos e deveres de uma união estável?

Clipping – Cenário MT – Quais são os direitos e deveres de uma união estável?

Muitas pessoas estão em união estável, porém possuem dúvidas quanto aos direitos e as obrigações. Dessa forma, para ajudar a solucionar algumas destas dúvidas, iremos falar um pouco sobre este assunto.

A união estável é caracterizada pela convivência pública e duradoura, tendo como objetivo a construção de um âmbito familiar.

Quais são os direitos e deveres de uma união estável?

De forma equivocada, muitos acreditam que para haver a união estável é preciso que o casal more em uma mesma casa. Portanto, é possível sim, viver em união estável residindo em casas distintas.

Antigamente, havia a exigência do prazo de 5 anos ou nascimento de filhos para configurar a união estável. Contudo, atualmente, inexiste este prazo.

De todo modo, para fins previdenciários, é exigido o prazo de dois anos para que possa ter direito aos benefícios. De acordo com a lei, a união estável proporciona os mesmos direitos e deveres determinados no casamento:

Fidelidade recíproca;
Vida em comum;
Mútua assistência;
Sustento, guarda e educação dos filhos;
Respeito e consideração mútuos.
Além disso, não há qualquer exigência do registro da união estável em cartório, mas se houver interesse das partes, poderá formalizar por meio de escritura pública em cartório.

Com isso, as partes deverão comparecer ao cartório com os documentos pessoais para realizar a oficialização. Não é preciso contratar advogado. Já a dissolução pode ocorrer no âmbito administrativo ou em juízo.

Ao realizar a dissolução da união estável de forma extrajudicial, basta ir ao cartório, contudo a lei determina que somente é possível este tipo de dissolução quando não há filhos e as partes estão em comum acordo.

Já a dissolução judicial será feita quando houver filhos menores e divergência entre as partes, como pagamento de pensão alimentícia, guarda dos filhos, partilha de bens e outros.

Fonte: Cenário MT
Extraído de Anoreg/BR

Notícias

RI Simplificado – STJ: procuração em causa própria

RI Simplificado – STJ: procuração em causa própria Atentar-se à sutileza do julgado que entende que a procuração em causa própria não é título translativo de propriedade. Processo REsp 1.345.170-RS, Rel. Min. Luis Felipe Salomão, Quarta Turma, por unanimidade, julgado em 04/05/2021. Ramo do...

Nome incomum não justifica alteração de registro

Nome incomum não justifica alteração de registro Publicado em 13 de maio de 2021 A 8ª câmara Cível do TJ/RS negou, unanimamente, pedido de homem para alteração do primeiro nome. Registrado como Cipriano, ele alegou que desde criança sofre com constrangimentos. Contou que deveria chamar-se...

Quero mudar meu nome. E agora?

Quero mudar meu nome. E agora? Brunna Frota Silva Saiba como o Judiciário tem lidado com os diferentes casos de pedidos de mudança de nome e ainda desmistificar reflexos culturais brasileiros envolvendo os sobrenomes. As motivações envolvem desde questões religiosas ao abandono...

WhatsApp e inclusão digital: uma saída para as Defensorias Públicas

TRIBUNA DA DEFENSORIA WhatsApp e inclusão digital: uma saída para as Defensorias Públicas 11 de maio de 2021, 8h01 Por Júlio de Camargo Azevedo e Giovani Ravagnani Considerado um dos principais cases de sucesso, a Defensoria Pública do Estado do Rio de Janeiro lançou em outubro de 2020 um...

STJ autoriza criança com nome de anticoncepcional a mudar registro

STJ autoriza criança com nome de anticoncepcional a mudar registro No entendimento dos ministros, houve rompimento unilateral do acordo firmado entre os pais da criança. terça-feira, 11 de maio de 2021 A 3ª turma do STJ autorizou a alteração do nome de uma criança registrada pelo pai com o nome...

Pontuação não pode ser lançada em CNH antes de recurso administrativo

CONTRADITÓRIO E AMPLA DEFESA Pontuação não pode ser lançada em CNH antes de recurso administrativo 4 de maio de 2021, 7h46 Por Tábata Viapiana O magistrado embasou a decisão na Resolução Contran 619/16 e também disse ser inaplicável a penalidade enquanto os fatos não forem devidamente apurados...