Proposta que muda a Lei de Licitações aguarda votação na CCJ

06/09/2012 11:11

Proposta que muda a Lei de Licitações aguarda votação na CCJ

Enquanto o líder da Minoria defende a criação de uma comissão especial para discutir o assunto, na internet a sociedade apresenta sugestões para modificar a legislação.

Arquivo/ Leonardo Prado
Fabio Trad
Trad quer debater o assunto em audiência pública antes de elaborar o parecer.

A Câmara analisa várias propostas que modificam a Lei de Licitações (8.666/93). A principal é o Projeto de Lei 1292/95, do Senado. O texto, que tem 150 propostas apensadas, aguarda votação na Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania. O projeto já foi rejeitado nas comissões de Trabalho, Administração e Serviço Público; e de Finanças e Tributação.

Segundo o relator na CCJ, deputado Fabio Trad (PMDB-MS), a maioria dos projetos busca aumentar penas para quem fraudar o processo licitatório. Há ainda propostas para ampliar o alcance do pregão eletrônico e outras que procuram importar mecanismos do RDC para a Lei 8.666. “Há uma demanda social muito intensa em defesa de uma lei de licitações que, além de vedar as práticas fraudulentas, também não impeça que haja uma agilidade no processo licitatório”, afirma Trad.

Algumas propostas, por exemplo, preveem a publicação do edital na internet e o pagamento da taxa por boleto bancário para que os participantes não se conheçam e não possam combinar o processo licitatório. “Precisamos readequar a lei à modernidade e fazer com que haja mais segurança jurídica sem comprometer a agilidade na máquina burocrática para que as licitações surtam resultados satisfatórios”, analisa o relator.

Comissão
Na opinião do líder da Minoria, deputado Antonio Carlos Mendes Thame (PSDB-SP), seria necessário uma comissão para se discutir a 8.666/93. “Em lugar de votar alguma coisa que melhore o arcabouço jurídico, estamos votando uma lei que permite gambiarras”, critica.

Ele lembrou que a criação da Lei de Licitações veio como reflexo da CPI dos “anões do orçamento”, de 1992, em que parlamentares cobravam propinas de prefeitos e empresários para incluir obras no Orçamento. “Quando o Brasil inteiro ficou estarrecido com o queijo suíço que era a nossa legislação, formou-se uma comissão e o produto final foi a 8.666/93. Foi um trabalho profícuo para proteger a população e o Erário”.

 
Câmara - Participação Popular - Selo internet - mouse
Quem quiser pode dar sugestões ao projeto, artigo por artigo, no Wikilegis

Debate virtual
A sociedade também pode sugerir mudanças na Lei de Licitações por meio da comunidade virtual no e-Democracia. A página já teve quase 18 mil visualizações e recebeu mais de 200 sugestões.

A ampliação da abrangência do pregão para, por exemplo, obras de construção civil e concessões de serviços públicos é um dos temas mais discutidos na comunidade. Outro ponto debatido é a ampliação ou não das sanções para os crimes no processo licitatório e a necessidade de maior transparência do processo para aumentar o controle social.

Trad já adiantou que poderá adotar algumas das sugestões apresentadas pela sociedade no relatório final.

 

Veja quais são as modalidades de licitações no Brasil

 

Reportagem – Tiago Miranda
Edição – Natalia Doederlein

Agência Câmara de Notícias

 

Notícias

ANOREG/BR comunica disponibilidade de emissão do CCIR 2024 no site do Incra

ANOREG/BR comunica disponibilidade de emissão do CCIR 2024 no site do Incra A Associação dos Notários e Registradores do Brasil (ANOREG/BR) comunica que o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) tornou público, na segunda-feira (17/06), o Edital nº 692, de 12 de junho de...

Proteção dos alimentos: a inclusão dos avós na ação de alimentos

OPINIÃO Proteção dos alimentos: a inclusão dos avós na ação de alimentos Diego Ferreira da Silva Voloski 18 de junho de 2024, 19h43 A responsabilidade alimentar dos avós é subsidiária e complementar e só se configura na impossibilidade total ou parcial dos pais de cumprir com suas obrigações...

Nova lei limita liberdade de empresas para escolher foro de ações

LIBERDADE CONTRATUAL Nova lei limita liberdade de empresas para escolher foro de ações José Higídio 17 de junho de 2024, 7h44 O texto da lei diz que a escolha do foro precisa “guardar pertinência com o domicílio ou a residência de uma das partes ou com o local da obrigação” — exceto em contratos de...

Mães não precisam ser casadas para registro de filhos por fertilização

Mães não precisam ser casadas para registro de filhos por fertilização A juíza ressaltou a importância de suprir lacunas na legislação para garantir a proteção dos direitos das crianças e das genitoras. Da Redação quinta-feira, 13 de junho de 2024 Atualizado às 18:14 Não é necessário que genitoras...

Modificações no art. 63 do CPC via Lei 14.879/24: 6 pontos de preocupação

OPINIÃO Modificações no art. 63 do CPC via Lei 14.879/24: 6 pontos de preocupação Murilo Teixeira Avelino 11 de junho de 2024, 18h33 Com a alteração legislativa, a eleição de foro contratual ficou extremamente limitada: as partes só podem escolher, consensualmente, litigar perante os órgãos com...