Restaurantes self-service podem significar risco à saúde

Self-Service: prático sim, mas perigoso!

Pesquisa revela que restaurantes self-service podem significar risco à saúde. Para otimizar a conservação de alimentos, equipamentos potentes e especializados devem estar presentes no serviço de buffet

Pela redação - www.incorporativa.com.br
11/08/2011

Com o dia-a-dia agitado, milhares de pessoas não podem se dar ao luxo de almoçar em casa nem de preparar o seu próprio alimento. Por conta disso, optam por almoçar em restaurantes, como, por exemplo, os de autosserviço ou self-service – como são mais conhecidos. Mas você já parou para pensar em como esses estabelecimentos têm armazenado e manejado os alimentos disponíveis no buffet? Sabia que a mesma opção de alimentação que parece acessível na sua rotina pode representar uma ameaça à sua saúde?

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), milhões de pessoas adoecem todos os anos em virtude de ingestão de alimentos contaminados. E as causas vão desde os descuidos com a conservação dos alimentos, sejam eles frios ou quentes, até o manuseio incorreto das comidas – fatores que aumentam as chances de intoxicação.

Uma pesquisa realizada pela USP, em janeiro desse ano, mostrou que almoçar em restaurantes self-service na cidade de São Paulo entre 14h e 15h pode significar um risco à saúde. Segundo o estudo, nesse horário a maioria dos alimentos disponíveis nos restaurantes está imprópria para o consumo devido ao longo tempo de exposição a uma temperatura inadequada. O ideal é que as saladas e os demais pratos frios devem estar sobre recipientes com gelo, a uma temperatura que não pode passar dos 10ºC. Já os pratos quentes devem ser conversados a um calor de 60ºC, para que não haja o risco de contaminação.

Para Nilton Cunha, responsável pelo Marketing da COZIL, a principal preocupação desse tipo de estabelecimento deve ser, principalmente no equipamento utilizado. “Não basta ter ótimos cozinheiros, vasta opção no cardápio e não oferecer a segurança necessária naquilo que está será servido. Uma comida em temperatura inadequada não é fica apenas com gosto insosso, mas também é nocivo à saúde do consumidor”, alerta.

Outro erro que compromete a saudabilidade do alimento é a reposição de comida sem troca de recipiente. Os resíduos que permanecem na porção anterior podem estar contaminados e com isso passa para o restante da comida. Os famosos ‘paninhos’ que são utilizados para a limpeza também são exemplos do que não fazer. Dados do Ministério da Saúde indicam que alimentos crus, como ovos e carnes vermelhas, são responsáveis em média, por 34,5% dos surtos de doenças transmitidas por alimentos que ocorrem no Brasil.

Equipamentos são fundamentais

O aquecimento e resfriamento dos alimentos nos estabelecimentos de self-service é algo que está ligado aos equipamentos utilizados. A COZIL, empresa líder de mercado no segmento de cozinhas profissionais, possui uma linha especializada para esse tipo de serviço, a Buffet Line, que oferece requinte e funcionalidade para servir os alimentos, sejam eles quente ou frio. Além disso, a empresa oferece também sua linha de Cocção Power Line, que otimiza as fases de produção e permite que se produza grande capacidade de alimentos de modo seguro, eficiente e prático.

“A COZIL preza pela qualidade em seus produtos, que resfriam e mantém aquecidos os alimentos conforme necessidade. Além disso, os equipamentos são desenvolvidos com sistema antiaderente, o que facilita a higienização do produto”, finaliza o responsável pelo Marketing da empresa, Nilton Cunha.

 

Fonte INCorporativa


 

 

Notícias

Previdência para amantes: descalabro jurídico

Previdência para amantes: descalabro jurídico          Regina Beatriz Tavares da Silva* 17 Janeiro 2019 | 06h00 Em vários artigos anteriores (como aqui, aqui e aqui) já salientei a importância do julgamento pelo Supremo Tribunal Federal (STF) dos Recursos...
Leia mais

Artigo – É meu, seu ou nosso? – Por Marcia Dessen

Artigo – É meu, seu ou nosso? – Por Marcia Dessen Evite conflitos e escolha, antes de casar, o regime da comunhão de bens Nem sempre um casal decide e planeja o casamento. Muitas vezes, acontece aos poucos, e, de repente, estão casados ou vivendo em união estável. Independentemente da forma ou da...
Leia mais

O divórcio do homem mais rico do mundo e o pacto antenupcial

O divórcio do homem mais rico do mundo e o pacto antenupcial          Lucas Marshall Santos Amaral 11 Janeiro 2019 | 04h00 Jeff Bezos e MacKenzie Bezos estão casados há 25 anos. Foi nesse período que ele se tornou o homem mais rico do mundo. Porém, a vida de...
Leia mais

Afeto como elemento basilar da relação familiar

Afeto como elemento basilar da relação familiar    10/01/19 ÀS 00:00 André Vieira Saraiva de Medeiros A família sofreu inúmeras modificações ao longo dos anos e – por consequência do processo evolutivo – a concepção de parentalidade foi extensivamente alterada, sob influência direta da...
Leia mais

A opção extrajudicial de recuperação de empresas

A opção extrajudicial de recuperação de empresas 7 de janeiro de 2019, 6h24 Por Murilo Aires Na recuperação extrajudicial não há intervenção do Ministério Público, nomeação de administrador judicial nem mesmo prazo mínimo de dois anos de supervisão judicial. Confira em Consultor Jurídico
Leia mais
Dúvidas, consulte as fontes indicadas. Todos os direitos reservados