Restaurantes self-service podem significar risco à saúde

Self-Service: prático sim, mas perigoso!

Pesquisa revela que restaurantes self-service podem significar risco à saúde. Para otimizar a conservação de alimentos, equipamentos potentes e especializados devem estar presentes no serviço de buffet

Pela redação - www.incorporativa.com.br
11/08/2011

Com o dia-a-dia agitado, milhares de pessoas não podem se dar ao luxo de almoçar em casa nem de preparar o seu próprio alimento. Por conta disso, optam por almoçar em restaurantes, como, por exemplo, os de autosserviço ou self-service – como são mais conhecidos. Mas você já parou para pensar em como esses estabelecimentos têm armazenado e manejado os alimentos disponíveis no buffet? Sabia que a mesma opção de alimentação que parece acessível na sua rotina pode representar uma ameaça à sua saúde?

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), milhões de pessoas adoecem todos os anos em virtude de ingestão de alimentos contaminados. E as causas vão desde os descuidos com a conservação dos alimentos, sejam eles frios ou quentes, até o manuseio incorreto das comidas – fatores que aumentam as chances de intoxicação.

Uma pesquisa realizada pela USP, em janeiro desse ano, mostrou que almoçar em restaurantes self-service na cidade de São Paulo entre 14h e 15h pode significar um risco à saúde. Segundo o estudo, nesse horário a maioria dos alimentos disponíveis nos restaurantes está imprópria para o consumo devido ao longo tempo de exposição a uma temperatura inadequada. O ideal é que as saladas e os demais pratos frios devem estar sobre recipientes com gelo, a uma temperatura que não pode passar dos 10ºC. Já os pratos quentes devem ser conversados a um calor de 60ºC, para que não haja o risco de contaminação.

Para Nilton Cunha, responsável pelo Marketing da COZIL, a principal preocupação desse tipo de estabelecimento deve ser, principalmente no equipamento utilizado. “Não basta ter ótimos cozinheiros, vasta opção no cardápio e não oferecer a segurança necessária naquilo que está será servido. Uma comida em temperatura inadequada não é fica apenas com gosto insosso, mas também é nocivo à saúde do consumidor”, alerta.

Outro erro que compromete a saudabilidade do alimento é a reposição de comida sem troca de recipiente. Os resíduos que permanecem na porção anterior podem estar contaminados e com isso passa para o restante da comida. Os famosos ‘paninhos’ que são utilizados para a limpeza também são exemplos do que não fazer. Dados do Ministério da Saúde indicam que alimentos crus, como ovos e carnes vermelhas, são responsáveis em média, por 34,5% dos surtos de doenças transmitidas por alimentos que ocorrem no Brasil.

Equipamentos são fundamentais

O aquecimento e resfriamento dos alimentos nos estabelecimentos de self-service é algo que está ligado aos equipamentos utilizados. A COZIL, empresa líder de mercado no segmento de cozinhas profissionais, possui uma linha especializada para esse tipo de serviço, a Buffet Line, que oferece requinte e funcionalidade para servir os alimentos, sejam eles quente ou frio. Além disso, a empresa oferece também sua linha de Cocção Power Line, que otimiza as fases de produção e permite que se produza grande capacidade de alimentos de modo seguro, eficiente e prático.

“A COZIL preza pela qualidade em seus produtos, que resfriam e mantém aquecidos os alimentos conforme necessidade. Além disso, os equipamentos são desenvolvidos com sistema antiaderente, o que facilita a higienização do produto”, finaliza o responsável pelo Marketing da empresa, Nilton Cunha.

 

Fonte INCorporativa


 

 

Notícias

'Os médicos não deixaram minha irmã morrer em paz'

'Os médicos não deixaram minha irmã morrer em paz' Publicado em: 16/01/2018 Em 2009, Polly Kitzinger sobreviveu a um acidente de carro, mas ficou com sérias lesões cerebrais. A irmã dela, Jenny, diz que Polly não teria desejado ser submetida a tantas intervenções médicas que a permitiram ficar...
Leia mais

A regularização fundiária de condomínios e ranchos de lazer

A regularização fundiária de condomínios e ranchos de lazer 15 de janeiro de 2018, 8h00 Por Ivan Carneiro Castanheiro e Andreia Mara de Oliveira Núcleo urbano informal, segundo artigo 11 da Lei 13.465 de 11 de julho de 2017, é o assentamento clandestino, irregular ou no qual não foi possível...
Leia mais

COMPRADOR DEVE TRANSFERIR VEÍCULO ADQUIRIDO PARA SEU NOME

COMPRADOR DEVE TRANSFERIR VEÍCULO ADQUIRIDO PARA SEU NOME SOB PENA DE TER QUE INDENIZAR por AF — publicado em 11/01/2018 18:57 A juíza da 6ª Vara Cível De Brasília condenou o comprador de uma motocicleta a pagar R$ 5 mil a título de danos morais ao vendedor, por não ter providenciado a...
Leia mais

Condenados podem passar a arcar com o custo da tornozeleira

09/01/2018 - 09h01 Proposta determina que condenado pagará pelo custo de tornozeleira eletrônica A Câmara analisa proposta para que condenados monitorados eletronicamente podem passar a arcar com o custo da tornozeleira. O texto (PL 8806/17), do senador Paulo Bauer (PSDB-SC), altera a...
Leia mais

Uso de criptomoedas é possível em operações societárias

Uso de criptomoedas é possível em operações societárias 8 de janeiro de 2018, 7h00 Por Thiago Vasconcellos O ineditismo do tema descortina uma série de oportunidades e questionamentos, especialmente na esfera jurídica. Uma pergunta interessante diz respeito à possibilidade (e os efeitos daí...
Leia mais

Justiça gaúcha revoga doação de imóvel de mãe para filho ingrato

Justiça gaúcha revoga doação de imóvel de mãe para filho ingrato Publicado em: 08/01/2018 Uma mãe ofendida e injuriada por seu filho pode retomar um imóvel que doou a ele anteriormente. O artigo 555 do Código Civil prevê a revogação, por ingratidão do donatário, enquanto o artigo 557 elenca os...
Leia mais
Dúvidas, consulte as fontes indicadas. Todos os direitos reservados