Agricultores e empreendedores familiares rurais no Programa Federal de Pagamento por Serviços Ambientais

 

03/12/2010 15:41
 

Agricultor familiar é priorizado na proposta

 

Arquivo - Gilberto Nascimento
Anselmo de Jesus defende incentivo porque a produção sustentável é mais cara.

 

O deputado Jorge Khoury (DEM-BA) também incorporou ao seu relatório sobre o Projeto de Lei 792/07 emenda apresentada pelo deputado Paulo Teixeira (PT-SP) para priorizar agricultores e empreendedores familiares rurais no Programa Federal de Pagamento por Serviços Ambientais.

O coordenador adjunto do Programa de Política e Direito do Instituto Socioambiental (ISA), Raul do Valle, concorda que o pequeno proprietário seja priorizado, mas teme que os recursos não sejam suficientes para atendê-lo, pois o projeto beneficia também o grande produtor. Ele destaca, por exemplo, que a proposta incentiva o plantio direto, técnica rentável de manejo que visa diminuir o impacto da agricultura e das máquinas no solo, amplamente utilizada no Brasil pelos grandes proprietários. Para ele, o pagamento por serviços prestados tem de estimular práticas adotadas pelos pequenos produtores, que precisam de recursos e não podem concorrer com os grandes.

Outro ponto criticado por Valle diz respeito à forma direta de pagamento pelos serviços. Em sua opinião, todas as possibilidades de compensação devem ser utilizadas. Uma delas seria conceder desconto em impostos ao proprietário que preservar o meio ambiente.

Ele afirmou, por outro lado, que o projeto dá um grande passo no sentido de reconhecer que há pessoas que prestam serviço ao meio ambiente e que isso é passível de compensação.

Para o deputado Anselmo de Jesus (PT-RO), autor do PL 792/07, a proposta reconhece que a preservação tem um custo e que o pequeno produtor precisa de incentivo, pois a produção sustentável é mais cara. Ele reclamou ainda da falta de contribuição dos moradores da cidade e dos empresários, que culpam apenas os proprietários rurais pelos problemas ambientais do País.

Jorge Khoury reconheceu que a proposta deverá ser modificada no futuro, quando novas necessidades de complementação deverão surgir. O projeto tramita em caráter conclusivo e ainda será analisado pelas comissões de Finanças e Tributação; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

 

 

Reportagem – Noéli Nobre
Edição – Marcos Rossi - Agência Câmara

Notícias

Homeschooling pode ir a plenário em urgência

Homeschooling pode ir a plenário em urgência Por Thais Rodrigues sobre Brasília Em 13 jun, 2021 - 9:43 Última Atualização 13 jun, 2021 - 11:06 Fato é que, se isso realmente ocorrer, o projeto do homeschooling vai para apreciação dos parlamentares sem passar por qualquer debate prévio nas...

Crédito de alienação de imóvel de terceiro tem natureza extraconcursal

Crédito de alienação de imóvel de terceiro tem natureza extraconcursal 3ª turma negou recurso de uma empresa de transportes que defendia estar sujeita à recuperação judicial a garantia fiduciária prestada por terceiros. segunda-feira, 31 de maio de 2021 A 3ª turma do STJ negou recurso de uma...

Juíza ordena que duas mães constem de certidão de nascimento de criança

INSEMINAÇÃO CASEIRA Juíza ordena que duas mães constem de certidão de nascimento de criança 30 de maio de 2021, 7h24 Por Sérgio Rodas Segundo ela, a falta de regulamentação das inseminações artificiais caseiras induz à conclusão de que não existe impedimento à medida. Confira em Consultor...