Brasil triplica agricultura sem desmatar mais

06/06/11 - 00:00 > AGRONEGÓCIOS

Brasil triplica agricultura sem desmatar mais

Daniel PopovBruno Cirillo

São Paulo - O Brasil pode triplicar sua produção agrícola sem a derrubada de uma única árvore. Nos últimos 25 anos, a produtividade agrícola deu um salto enorme no País: a do feijão cresceu 165,6%, a da soja, 71,93%, e a do trigo, 90,15%. Estes resultados se multiplicam pelas demais culturas e indicam que a ampliação de áreas agrícolas com avanço sobre matas e florestas não é necessária no agronegócio local. Além disso, já há hoje cerca de 120 milhões de hectares de terras degradadas que, com adequada correção de solo, podem ser recuperados e se transformar em novas fronteiras para grãos.

Para o diretor-geral da suíça Syngenta no Brasil, Laércio Giampani, o País possui grande capacidade de expandir a produtividade, e o agricultor começa a perceber as vantagens de investir em tecnologia. Para ele, a discussão acerca do novo Código Florestal pode favorecer tanto o meio ambiente quanto a ampliação da produção de alimentos, desde que o País invista na revitalização de áreas degradadas.

O ministro da Agricultura, Wagner Rossi, lembra técnicas da Embrapa que mostram que não existe mais terra fraca ou imprópria: "Existe a falta de cuidados, sem o adubo necessário, a correção de solo". Para o diretor da americana Dow AgroSciences no Brasil, Mario Von Zuben, a tendência é a diversificação de culturas: "O grande salto em relação à produtividade virá da adoção de novas tecnologias, não do aumento de áreas." Já o presidente do Instituto Rio-Grandense do Arroz (Irga), Cláudio Pereira, ressalta que no seu ramo o aumento da produtividade é gerado pelo avanço da tecnologia. O ambientalista e produtor rural Paulo Nogueira Neto diz que o País precisa pensar seriamente na recuperação da áreas para aumentar a produção de alimentos sem desmatar.

Fonte: DCI

 

Notícias

Pais devem pagar pensão à filha sob guarda da avó materna, decide TJSP

Pais devem pagar pensão à filha sob guarda da avó materna, decide TJSP 07/07/2021 Fonte: Assessoria de Comunicação do IBDFAM A 10ª Câmara de Direito Privado do Tribunal de Justiça de São Paulo – TJSP negou provimento ao recurso dos pais de uma menina, que buscavam reformar decisão para se eximirem...

Plataformas online oferecem ferramentas para herança digital

PERFIL POST MORTEM Plataformas online oferecem ferramentas para herança digital 28 de julho de 2021, 7h31 Atualmente, todas essas situações são reguladas pelas disposições gerais de Direito Sucessório e Digital. Assim, os procedimentos e configurações das plataformas, ainda que limitadas, são o...

2ª Câmara Cível do TJRO não reconhece união estável após morte à namorada

Terça, 20 Julho 2021 10:09 2ª Câmara Cível do TJRO não reconhece união estável após morte à namorada A 2ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Rondônia negou provimento ao recurso de apelação que visava o reconhecimento de união estável pós morte. Os desembargadores concluíram que, todos os...