Higiene em navios, Medula óssea, Identidade Visual

13/07/2011 - 20h54

Senado vai pedir informações ao Ministério da Justiça sobre decisão da Bolívia de regularizar carros ilegais 

Em reunião nesta quarta-feira (13), a Mesa do Senado aprovou requerimento do senador Sérgio Petecão (PMN-AC) pedindo informações ao Ministério da Justiça sobre as ações a serem tomadas pelo Brasil frente à decisão recente do governo da Bolívia de regularizar carros ilegais em circulação naquele país.

Em sua justificativa, Sérgio Petecão argumenta que essa decisão causou uma enorme preocupação no governo brasileiro, em particular nos estados que fazem fronteira com a Bolívia, em vista do temor do aumento de furto e roubo de veículos, com o consequente avanço da violência.

A Bolívia tem 3.166 quilômetros de fronteira seca com o Brasil ao longo de quatro estados - Acre, Rondônia, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul - cujos governos já expuseram o temor de maiores complicações e a necessidade de maior controle e fiscalização nas fronteiras em relação aos veículos brasileiros que diariamente cruzam esses locais.

Sérgio Petecão assinala ainda que a decisão da Bolívia, segundo fontes do setor econômico, vai elevar de forma abrupta o preço do seguro dos automóveis no Brasil.

Com a adoção da chamada Lei de Saneamento Legal, o governo boliviano estaria pretendendo aumentar o volume de arrecadação de impostos, segundo informações locais divulgadas na imprensa.

Higiene em navios

A Mesa também aprovou requerimento da senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) pedindo informações ao Ministério da Saúde sobre a fiscalização sanitária dos ambientes de navios e transatlânticos internacionais que circulam por águas brasileiras, diante da preocupação das autoridades com a ocorrência de possíveis epidemias infectocontagiosas entre tripulantes e passageiros.

O requerimento foi relatado pela senadora Marta Suplicy (PT-SP), que o reformulou, uma vez que a matéria está relacionada tanto à vigilância sanitária quanto ao controle epidemiológico.

Dessa forma, o requerimento questiona se o Ministério da Saúde, por meio da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), tem jurisdição para realizar vigilância, o controle sanitário e de vetores nos navios que aportam no país, bem como para monitorar os casos de doenças infectocontagiosas, e se esse monitoramento tem sido feito. O requerimento solicita informações sobre as medidas adotadas para evitar a transmissão de doenças à população das localidades por onde circulam essas embarcações.

Medula óssea

Outro requerimento de Vanessa Grazziotin aprovado pela Mesa também solicita ao Ministério da Saúde informações sobre a previsão de novas campanhas de incentivo à doação de medula óssea, capazes de esclarecer a população quanto à existência de um cadastro nacional com essa finalidade, e que esse tipo de procedimento cirúrgico não é prejudicial à saúde.

A senadora considera salutar o incentivo à doação de medula óssea, tendo em vista a sua importância para salvar a vida de inúmeras pessoas que sofrem de leucemia e necessitam de transplantes. Vanessa Grazziotin também salienta a dificuldade de encontrar doadores no Amazonas, em decorrência da falta de informação sobre o ato de doação.

Revalidação de diplomas

Também foi aprovado requerimento dirigido ao Ministério da Educação em que a Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE) solicita informações relativas aos pedidos de revalidação de diplomas de graduação processados nas universidades federais brasileiras de 2001 a 2010.

Siga Estados

Na mesma reunião, entre as decisões administrativas tomadas pela Mesa, está a criação do projeto Siga Estados, destinado a disponibilizar as bases de dados dos estados interessados na plataforma Siga Brasil, já disponibilizada pelo Senado, permitindo o acesso das unidades federadas a toda a sociedade brasileira. A solicitação dos estados interessados em participar do programa deve ser dirigida à Consultoria do Senado, que coordena a iniciativa.

Identidade Visual

Outra decisão administrativa tomada pela Mesa é a criação de um Manual de Identidade, que conterá as diretrizes de aplicação da marca do Senado e dos órgãos da Casa, o que contribuirá para a criação de uma identidade visual da instituição.

Paulo Sérgio Vasco / Agência Senado
 

Notícias

Uso de criptomoedas não significa lavagem de dinheiro

Uso de criptomoedas não significa lavagem de dinheiro 13 de fevereiro de 2019, 15h46 Por Rhasmye El Rafih Não obstante, as moedas virtuais são sofisticadas tecnologias desenvolvidas para favorecer transações financeiras descentralizadas e céleres, sem a necessidade de intermediação por banco ou...
Leia mais

Herdeiro condenado pela Justiça perde o direito à herança? - Exame

Herdeiro condenado pela Justiça perde o direito à herança? - Exame Publicado em: 14/02/2019 Um herdeiro que está preso, condenado pela Justiça, perde seus direitos? Veja a resposta no vídeo de finanças pessoais, com o advogado Samir Choaib, especialista em direito sucessório.   Assista o...
Leia mais

Para a maioria dos magistrados, STF deve se submeter a uma corregedoria

CONTROLE E FISCALIZAÇÃO Para a maioria dos magistrados, STF deve se submeter a uma corregedoria 13 de fevereiro de 2019, 10h25 Por Fernanda Valente Os dados mostram que 95,9% dos juízes ativos de primeira instância são a favor da submissão a uma corregedoria. Confira a pesquisa em Consultor...
Leia mais

A uniformização da jurisprudência e a segurança jurídica

REFLEXÕES TRABALHISTAS A uniformização da jurisprudência e a segurança jurídica 8 de fevereiro de 2019, 8h00 Por Pedro Paulo Teixeira Manus A função institucional do Poder Judiciário é dizer o direito, proporcionando a segurança jurídica aos jurisdicionados. Prossiga em Consultor Jurídico
Leia mais

Telemedicina: CFM abre prazo de 60 dias para contribuições

Telemedicina: CFM abre prazo de 60 dias para contribuições Publicado em 07/02/2019 - 10:49 Por Paula Laboissière - Repórter da Agência Brasil  Brasília O Conselho Federal de Medicina (CFM) abriu prazo de 60 dias para receber contribuições relativas à Resolução nº 2.227/2018, que atualiza...
Leia mais
Dúvidas, consulte as fontes indicadas. Todos os direitos reservados