Incra reconhece união homoafetiva em assentamento fluminense

Incra reconhece união homoafetiva em assentamento fluminense

A Superintendência Regional do Incra no Rio de Janeiro reconheceu, na última sexta-feira (28), um casal homoafetivo como unidade familiar beneficiária do Programa Nacional de Reforma Agrária. Com isso, as trabalhadoras rurais Lúcia Maria de Oliveira Silva e Beliza da Conceição Medeiros passam a contar com maior segurança jurídica, tanto no âmbito privado como na esfera civil.

As agricultoras já viviam no assentamento 25 de Março, localizado em Carapebus, Norte do estado, desde 2005. Apesar de terem sido selecionadas em conformidade com os critérios exigidos pelas normas do Incra, apenas Lúcia estava cadastrada como beneficiária da reforma agrária. Com a certidão de união estável expedida pelo cartório, o Incra conseguiu finalmente reconhecer as duas como uma família.

“Isso para mim é mais do que ganhar na loteria sozinha. Nós lutamos juntas durante todos esses anos no acampamento e eu não achava justo ela não estar cadastrada no Incra. Sei que o problema é de sistema, que não permitia colocar duas mulheres como uma família, mas não desisti. Não dava para esperar o sistema do Incra ser renovado, o jeito foi buscar essa certidão”, contou Lúcia.

Este foi o primeiro casal homoafetivo reconhecido pelo Incra no estado do Rio de Janeiro. Em todo o País, há exemplos ainda em Goiás e em São Paulo. O reconhecimento dessas famílias representa o compromisso do Incra com a implementação de políticas públicas de inclusão e justiça social, inclusive nas dimensões de gênero, raça e etnia.

 

Fonte: Incra

Publicado em 03/10/2012

Extraído de Recivil

Notícias

Reforma do Código Civil exclui cônjuges da lista de herdeiros necessários

REPARTINDO BENS Reforma do Código Civil exclui cônjuges da lista de herdeiros necessários José Higídio 19 de abril de 2024, 8h52 Russomanno ressalta que, além da herança legítima, também existe a disponível, correspondente à outra metade do patrimônio. A pessoa pode dispor dessa parte dos bens da...

Juiz determina que valor da venda de bem de família é impenhorável

Juiz determina que valor da venda de bem de família é impenhorável Magistrado considerou intenção da família de utilizar o dinheiro recebido para adquirir nova moradia. Da Redação terça-feira, 16 de abril de 2024 Atualizado às 17:41 "Os valores decorrentes da alienação de bem de família também são...

Cônjuge não responde por dívida trabalhista contraída antes do casamento

CADA UM POR SI Cônjuge não responde por dívida trabalhista contraída antes do casamento 15 de abril de 2024, 7h41 Para o colegiado, não se verifica dívida contraída em benefício do núcleo familiar, que obrigaria a utilização de bens comuns e particulares para saná-la. O motivo é o casamento ter...

Atos jurídicos e assinatura eletrônica na reforma do Código Civil

OPINIÃO Atos jurídicos e assinatura eletrônica na reforma do Código Civil Ricardo Campos Maria Gabriela Grings 12 de abril de 2024, 6h03 No Brasil, a matéria encontra-se regulada desde o início do século. A Medida Provisória 2.200-2, de 24 de agosto de 2001, estabeleceu a Infraestrutura de Chaves...

A importância da doação com usufruto vitalício e encargos

A importância da doação com usufruto vitalício e encargos Amadeu Mendonça Doação de imóveis com usufruto e encargos como alimentos promove transição patrimonial e segurança familiar, requerendo documentação precisa e compreensão legal. quarta-feira, 3 de abril de 2024 Atualizado às 14:39 Dentro do...