Pai tenta registrar filha com nome incomum

Pai que quer registrar filha com nome incomum já tentou em três cartórios de Curitiba; até agora nada

A tentativa de Alexandre Salomé em registrar o nome da terceira filha dele, nascida na terça-feira da semana passada, ganhou mais um capítulo nesta quarta-feira (13). Oito dias depois, Hyzaboh já está em casa com a família, mas segue sem registro. Segundo Alexandre, dois outros cartórios, um de Curitiba e outro de Pinhais, região metropolitana da capital, não quiseram realizar o registro, com isso, já são três tabelionatos que não aceitaram o nome Hyzaboh.

"Fui a um cartório em Pinhais perto de casa hoje de manhã e não quiseram registrar. Anotaram num papel o nome dela para levar ao promotor para analisar, mas com certeza é capaz de que ele não vai querer. Eles não querem registrar com este nome, mas eu vou bater o pé até o final, não vou arredar", detalhou Alexandre à Banda B.

Alem do cartório de Pinhais, o pai de Hyzaboh esteve presente em um tabelionato de Curitiba, aonde havia registrado as outras duas filhas, que também tem nomes incomuns: Ayniha e Raihana "Fui lá neste cartório, mas também rejeitaram, alegando que tem um mapeamento feito para o registro e, com isso, não posso fazê-lo em cartórios de Curitiba, apenas em Pinhais, onde moro atualmente", explicou.

Agora, Alexandre espera a resposta do promotor e afirma que, caso necessário, vai entrar na justiça para conseguir registrar sua menina como Hyzaboh.

Relembre o caso

Na terça-feira da semana passada nascia, no Hospital Evangélico, em Curitiba, a terceira filha de Alexandre Salomé. Dois dias depois do nascimento o bebê ainda não havia sido registrado, já que o cartório localizado no hospital não aceitou fazer o registro, uma vez que o nome escolhido pela família, Hyzaboh, foi considerado incomum.

"Não consegui registrar o nome, cheguei ao cartório e falaram que não existia registro no computador. Daí a moça pediu para eu entrar em contato com outro tabelionato e passaram o telefone de dois outros cartórios, só que ainda não fui, mas sinceramente não entendi, qual o problema do nome? Não é constrangedor nem nada", disse na época Alexandre à Banda B.

No Brasil, existe uma lei permitindo que os cartórios não aceitem os registros de nomes considerados exóticos ou constrangedores.

Ainda de acordo com Alexandre, o nome Hyzaboh faz referências a um personagem do filme "O Feitiço de Átila". A personagem é uma mulher que tem a capacidade de se transformar em ave. Um detalhe é que a grafia correta da personagem é Isaboh, no entanto, Alexandre não abre mão e quer registrar a filha como Hyzaboh, com esta grafia.


 

Fonte: O Estado do Paraná - Online
Publicado em 14/07/2011

Extraído de Recivil

 

Notícias

TJ-SP admite extinção de usufruto de imóvel arrematado em leilão

EFETIVIDADE DA EXECUÇÃO TJ-SP admite extinção de usufruto de imóvel arrematado em leilão 17 de outubro de 2018, 10h29 Por Tadeu Rover Segundo o processo, para fraudar a execução, o devedor simulou uma doação do imóvel aos filhos, reservando o usufruto vitalício a ele e à sua mulher. Leia em...
Leia mais

Homem deve indenizar ex-mulher por traição

Dano moral Homem deve indenizar ex-mulher por traição Juíza considerou que a infidelidade se deu com pessoa que era considerada da família e que trabalhava na empresa pertencente à autora. quinta-feira, 17 de janeiro de 2019 A juíza de Direito Clarissa Somesom Tauk, da 5ª vara da Família e...
Leia mais

Previdência para amantes: descalabro jurídico

Previdência para amantes: descalabro jurídico          Regina Beatriz Tavares da Silva* 17 Janeiro 2019 | 06h00 Em vários artigos anteriores (como aqui, aqui e aqui) já salientei a importância do julgamento pelo Supremo Tribunal Federal (STF) dos Recursos...
Leia mais

Artigo – É meu, seu ou nosso? – Por Marcia Dessen

Artigo – É meu, seu ou nosso? – Por Marcia Dessen Evite conflitos e escolha, antes de casar, o regime da comunhão de bens Nem sempre um casal decide e planeja o casamento. Muitas vezes, acontece aos poucos, e, de repente, estão casados ou vivendo em união estável. Independentemente da forma ou da...
Leia mais

O divórcio do homem mais rico do mundo e o pacto antenupcial

O divórcio do homem mais rico do mundo e o pacto antenupcial          Lucas Marshall Santos Amaral 11 Janeiro 2019 | 04h00 Jeff Bezos e MacKenzie Bezos estão casados há 25 anos. Foi nesse período que ele se tornou o homem mais rico do mundo. Porém, a vida de...
Leia mais

Afeto como elemento basilar da relação familiar

Afeto como elemento basilar da relação familiar    10/01/19 ÀS 00:00 André Vieira Saraiva de Medeiros A família sofreu inúmeras modificações ao longo dos anos e – por consequência do processo evolutivo – a concepção de parentalidade foi extensivamente alterada, sob influência direta da...
Leia mais

A opção extrajudicial de recuperação de empresas

A opção extrajudicial de recuperação de empresas 7 de janeiro de 2019, 6h24 Por Murilo Aires Na recuperação extrajudicial não há intervenção do Ministério Público, nomeação de administrador judicial nem mesmo prazo mínimo de dois anos de supervisão judicial. Confira em Consultor Jurídico
Leia mais
Dúvidas, consulte as fontes indicadas. Todos os direitos reservados