Representantes da indústria reclamam da perda de competitividade

Representantes da indústria vão ao Senado reclamar da perda de competitividade

06/07/2011 - 15h36
Economia
Ivan Richard
Repórter da Agência Brasil

Brasília - Representantes da indústria participaram hoje (6) de uma audiência pública na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado para tratar das dificuldades vividas pelo setor. A alta carga tributária, a competição com produtos chineses e o crescimento das exportações de commodities (produtos básicos com cotação internacional) em detrimentos dos produtos industrializados foram apontados como os principais motivos para o recuo da indústria nacional.

Para o presidente da Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq), Luiz Aubert Neto, o atual modelo econômico brasileiro tem provocado uma “reprimarização” da economia, uma referência à vocação exportadora de produtos primários. Já o presidente do Conselho de Administração da Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (Abit), Aguinaldo Diniz Filho, estimou que o Brasil deixará de criar, este ano, cerca de 200 mil vagas de emprego em virtude do déficit da balança comercial do setor. “Esse empregos serão gerados na Ásia e não no nosso país”, alertou Diniz Filho.

Pesquisa feita da Confederação Nacional da Indústria (CNI) em fevereiro mostrou que 45% das empresas nacionais que competem com produtos da China aqui no Brasil perderam participação no mercado e que 67% das empresas brasileiras exportadoras que concorrem com a China no mercado externo perderam clientes.

Durante a audiência pública, os representantes da indústria reclamaram do chamado custo Brasil, destacando a valorização cambial de 39% do real frente ao dólar desde 2003, o aumento da carga tributária e a maior taxa de juros na comparação com os principais países desenvolvidos e emergentes do mundo.

Segundo a CNI, o custo da mão de obra no Brasil dobrou nos últimos cinco anos, enquanto na França esse aumento ficou em 30% no mesmo período, 41% na Itália e -1,6% em Taiwan.

Para estancar o processo de desindustrialização e fazer com que o país acelere o crescimento, o setor industrial sugeriu, entre outras medidas, a desoneração dos investimentos e do setor de exportação, a redução da carga tributária que incide sobre a folha de pagamento e a fixação de percentuais de conteúdo nacional mínimo para as compras governamentais, concessões públicas e projetos privados financiados com recursos públicos.

Edição: Vinicius Doria
Agência Brasil

 

Notícias

Execução de alimentos antiga não deixa de ser urgente, decide STJ

PENSÃO ALIMENTÍCIA Execução de alimentos antiga não deixa de ser urgente, decide STJ 13 de novembro de 2018, 16h56 Por Gabriela Coelho “A dispensa inicial de alimentos pela convivente não invalida o acordo que fora entabulado entre as partes posteriormente". Leia em Consultor Jurídico
Leia mais

JURISTAS: GUARDA COMPARTILHADA - COMO TORNAR O PROCESSO MENOS DOLOROSO

JURISTAS: GUARDA COMPARTILHADA - COMO TORNAR O PROCESSO MENOS DOLOROSO Publicado em: 12/11/2018 Um levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) com dados colhidos entre 1984 e 2016 indica que, no Brasil, um em cada três casamentos resulta em divórcio. E na maioria das...
Leia mais

Contratos de namoro qualificado, namoro qualificado e união estável

Postado em 08 de Novembro de 2018 - 15:31 Contratos de namoro qualificado, namoro qualificado e união estável Por conta do entendimento de que o núcleo de afeto permite o reconhecimento de uma união familiar, pessoas tem, de modo cada vez mais frequente entabulado contratos de namoro, de namoro...
Leia mais

Ameaça espiritual serve para configurar crime de extorsão

DECISÃO 09/03/2017 08:42 Ameaça espiritual serve para configurar crime de extorsão Em decisão unânime, a Sexta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) considerou que a ameaça de emprego de forças espirituais para constranger alguém a entregar dinheiro é apta a caracterizar o...
Leia mais

O sobrenome do enteado

O sobrenome do enteado          Regina Beatriz Tavares da Silva* 08 Novembro 2018 | 05h00 Em 2009, a Lei 11.924/09, também conhecida com Lei Clodovil por ser de autoria de famoso costureiro, que também foi deputado, alterou a Lei dos Registros Públicos, dando a...
Leia mais

Argentina concede certidão de nascimento sem menção de sexo

Argentina concede certidão de nascimento sem menção de sexo Publicado em: 07/11/2018 Pela primeira vez na Argentina uma pessoa obteve sua certidão de nascimento, da qual deriva toda a documentação restante, sem qualquer menção de sexo, conforme a Lei de Identidade de Gênero aprovada em 2012 no...
Leia mais
Dúvidas, consulte as fontes indicadas. Todos os direitos reservados