MA: Detentos são beneficiados com reconhecimento de paternidade

MA: Detentos são beneficiados com reconhecimento de paternidade 

Segunda, 14 Outubro 2013 09:05  

SÃO LUÍS – Visando fortalecer os vínculos entre os detentos e seus parentes, o Núcleo de Defesa da Criança e Adolescente (NDCA) criou a ação de reconhecimento de paternidade e emissão de registro de nascimento para pais detidos na Central de Custódia de Presos de Justiça (CCPJ) do Anil. O objetivo é fazer com que os detentos recebam visitas dos filhos e enteados, que muitas vezes é impossibilitada pela falta de documetos.

A ação integra o Projeto Fortalecendo os Vínculos Familiares, do NDCA, e atendeu, nessa primeira etapa, cerca de 30 pessoas, entre detentos e familiares. O atendimento está sendo realizado pelos defensores públicos Gabriel Furtado Soares e Joaquim Gonzaga de Araújo Neto, titulares do Núcleo de Defesa da Criança e do Adolescente, da DPE/MA.

De acordo com Gabriel Furtado, o projeto vai possibilitar a presos e familiares direitos fundamentais, como o direito à convivência familiar, reconhecimento da filiação afetiva e biológica de filhos e enteados, além de ampliar a atuação do NDCA como agente de mudanças sociais. “Muitos presos não recebem visita dos filhos por estes não serem reconhecidos ou mesmo por ainda não terem registro de nascimento”, comentou, acrescentando que, com essa iniciativa, a Defensoria Pública do Estado (DPE) está contribuindo para a erradicação do sub-registro civil.

Segundo a assistente social da DPE, Natalia Nascimento, que acompanhou a ação, outros presídios serão beneficiados. “Estamos fazendo o levantamento de outras unidades, como, por exemplo, o Presídio São Luís II. Após a triagem, iniciaremos o atendimento no local”.

 

Fonte: Site Imigrante

Extraído de Anoreg/BR

Notícias

Modificações no art. 63 do CPC via Lei 14.879/24: 6 pontos de preocupação

OPINIÃO Modificações no art. 63 do CPC via Lei 14.879/24: 6 pontos de preocupação Murilo Teixeira Avelino 11 de junho de 2024, 18h33 Com a alteração legislativa, a eleição de foro contratual ficou extremamente limitada: as partes só podem escolher, consensualmente, litigar perante os órgãos com...

Certidão com efeito de negativa prova quitação de dívida, decide TJ-DF

TUDO NOS CONFORMES Certidão com efeito de negativa prova quitação de dívida, decide TJ-DF 11 de junho de 2024, 7h51 Relator do agravo, o desembargador Robson Barbosa de Azevedo explicou que o artigo 192 do Código Tributário Nacional estabelece que o formal de partilha só pode ser expedido mediante...

TJ/RO autoriza intimações judiciais via WhatsApp

Inovação TJ/RO autoriza intimações judiciais via WhatsApp A novidade entra em vigor a partir de 16/6, e é totalmente opcional e voluntária aos jurisdicionados. Da Redação segunda-feira, 10 de junho de 2024 O Poder Judiciário de Rondônia, por meio da CGJ - Corregedoria Geral da Justiça, adotou o...

Imunidade de ITBI na integralização de bens no capital social

OPINIÃO Imunidade de ITBI na integralização de bens no capital social João Vitor Calabuig Chapina Ohara Lucas Fulante Gonçalves Bento 10 de junho de 2024, 13h20 A decisão judicial mais relevante sobre o tema foi proferida no Recurso Extraordinário n° 796.376, em que o Supremo Tribunal Federal fixou...

Limitação à autonomia da cláusula de eleição de foro

Limitação à autonomia da cláusula de eleição de foro Davi Ferreira Avelino Santana A eleição de foro (aquela cláusula esquecida na maioria dos contratos) agora não pode se dar sem guardar pertinência com o domicílio ou a residência de uma das partes ou com o local da obrigação. sexta-feira, 7 de...