Copa do Mundo: 5 cidades tiveram suas obras de mobilidade urbana iniciadas

Atraso em obras de mobilidade urbana deixa governo em estado de alerta

14/09/2011 - 13h03

Esporte
 

Pedro Peduzzi e Gilberto Costa
Repórteres da Agência Brasil

Brasília - Das 12 cidades-sede da Copa do Mundo de 2014, apenas cinco já tiveram suas obras de mobilidade urbana iniciadas: Belo Horizonte (MG), Cuiabá (MT), Porto Alegre (RS), Recife (PE) e o Rio de Janeiro, de acordo com balanço apresentado hoje (14) pelo governo sobre os preparativos para o evento. Esses atrasos têm deixado o governo em "estado de alerta", disse o ministro do Esporte, Orlando Silva.

"Mobilidade é um assuto de relevância pelos legados que serão deixados. É um assunto que nos deixa em estado de alerta, no qual é muito importante o papel das cidades", acrescentou Orlando Silva durante a divulgação do balanço.

Apesar de ter a maior previsão de orçamento para a área de mobilidade urbana (R$ 2,86 bilhões), São Paulo está entre as cidades que não iniciaram as obras relativas. Segundo o documento, a única obra prevista é a Linha 17 do monotrilho – tipo de trem que usa pneus e trafega em vias elevadas. A obra já está contratada e a licença de instalação deverá ser obtida em outubro de 2011, para que seja iniciada em janeiro de 2012 e concluída em maio de 2014.

Brasília, Curitiba, Fortaleza, Manaus, Natal e Salvador são as cidades que ainda não iniciaram as obras. Ao todo, serão investidos R$ 12,1 bilhões em 49 projetos de mobilidade urbana nas cidades-sede.

Detentor da segunda maior previsão de financiamento, o Rio de Janeiro já iniciou o projeto do BRT (sigla em inglês para trânsito rápido de ônibus) do Corredor Transcarioca. Iniciada em março último, a obra deve ser concluída em novembro de 2013.

A cidade que apresenta o maior número de projetos é Porto Alegre. Dos dez, apenas um teve os trabalhos iniciados, o da Avenida Severo Dullius. Iniciada em setembro, essa obra tem previsão de estar concluída em outubro de 2013. As demais foram licitadas neste mês e deverão estar terminadas até dezembro de 2013.

Edição: Graça Adjuto
Agência Brasil

Notícias

Investimento em inovação pode reduzir gastos com impostos em até 180%

Investimento em inovação pode reduzir gastos com impostos em até 180% 15 de maio de 2019, 6h44 Por Adelmo Nunes Historicamente, o Brasil se encontra em constante ascendência quando o assunto é desenvolvimento e inovação tecnológica e isso graças às políticas internas relacionadas à ciência e...
Leia mais
Dúvidas, consulte as fontes indicadas. Todos os direitos reservados