Economia nas despesas com correio e combustível

TJSP faz primeira transmissão online de recurso


Extraído de: Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo - 16 horas atrás


Hoje (13/8) o Tribunal de Justiça de São Paulo deu mais um passo para sua modernização. Em cerimônia realizada no Palácio da Justiça, aconteceu a primeira transmissão online de recurso especial ao Superior Tribunal de Justiça (STJ). O encaminhamento online dos recursos foi implantado, a princípio, na Seção Criminal do Tribunal que, em média, envia ao STJ cerca de 200 ações por mês.

O evento contou com a presença do presidente do STJ, ministro Francisco César Asfor Rocha; do presidente do TJSP, desembargador Antonio Carlos Viana Santos, e do presidente da Seção Criminal do TJSP, desembargador Ciro Pinheiro e Campos. Juntos, eles encaminharam o primeiro recurso, um Agravo de Instrumento, que, em questão de segundos, chegou a Brasília, recebeu um número e foi distribuído ao ministro Napoleão Maia Filho. Pouco mais de uma hora depois do envio, o ministro já havia despachado o recurso, dando provimento ao agravo.

Antes da implantação do novo sistema, os recursos eram embalados, lacrados e seguiam para o STJ via correio. Agora, todas as folhas do processo são escaneadas, e, após a digitalização, o recurso é enviado por sistema informatizado, que confirma seu recebimento. Essa confirmação é impressa e juntada no processo em papel, que é devolvido à vara de origem.

Com o procedimento, o prazo para o processamento do recurso será abreviado em, no mínimo, três meses. Além da celeridade no andamento da ação, há economia nas despesas com correio e combustível, e ainda um melhor aproveitamento de pessoal, já que os funcionários disponibilizados para o serviço de remessa exercerão outras atividades.

O presidente da Seção Criminal, desembargador Ciro Campos, ressaltou que no ano passado foram gastos cerca de 5 milhões de reais com a remessa de processos de São Paulo para Brasília. Quando o Tribunal estiver com todo o sistema informatizado, estima-se que o gasto cairá para cerca de 750 mil reais. Recebemos todo o apoio técnico do STJ para o sucesso desse projeto. Essa será uma nova era de entendimento e parceria com o Superior Tribunal, para que possamos prestar um atendimento mais célere e transparente aos jurisdicionados, disse Ciro Campos.

O ministro Asfor Rocha falou sobre a importância da adesão do Estado de São Paulo ao envio eletrônico de recursos, que representa 25% do movimento do STJ. São Paulo não podia ficar de fora desse sistema, que é um sucesso e já serviu de modelo para outros países do mundo, afirmou Asfor Rocha. Ele ainda mencionou que com a digitalização dos processos, e conseqüente eliminação do uso de papel, em um ano o STJ poupou a derrubada de 1.600 hectares de árvores.

Durante a solenidade, o ministro foi homenageado com a outorga da medalha do Mérito Acadêmico da Escola Paulista da Magistratura e agradeceu a presença de amigos e familiares, dentre eles os também ministros do STJ, Benedito Gonçalves, Luis Felipe Salomão e Sidnei Benetti.

O presidente do TJSP, desembargador Viana Santos, afirmou que para o sucesso do projeto foi fundamental a ajuda do Superior Tribunal de Justiça que doou computadores de última geração e treinou os funcionários para operação do novo sistema.

O Tribunal de Justiça pretende até o início do próximo ano estender a transmissão online de recursos para as seções de Direito Privado e Direito. No ano passado o TJSP encaminhou para o STJ aproximadamente 3.670 malotes cheios de processos, que equivalem a mais de 67 toneladas de papel. Nesse ano, até o mês de julho, foram quase 2 mil malotes, correspondentes a 37 toneladas de papel.

Antes da cerimônia, os ministros do STJ foram recebidos para um almoço no prédio dos gabinetes de trabalho da Seção de Direito Criminal do TJSP. Estavam presentes o coordenador do prédio, desembargador Guilherme Strenger; o presidente da Seção Criminal, desembargador Ciro Campos; o vice-presidente do Tribunal Regional Eleitoral, desembargador Alceu Penteado Navarro; o presidente da Academia Paulista de Magistrados, desembargador Heraldo de Oliveira Silva, entre outros.

Assessoria de Imprensa TJSP CA AC (fotos)
JusBrasil

 

Notícias

As dívidas do falecido

Mônica Cecílio Rodrigues - 18/06/2018 As dívidas do falecido Perder um ente querido não é bom. E esta perda reflete em vários aspectos da Vida. Dentre eles os direitos e deveres que o falecido tinha e ainda perduraram, mesmo com o acontecimento, a morte, e que agora passará a ser preocupação...
Leia mais

Meu namorado passa a ter direito sobre meus bens se vier morar comigo?

Meu namorado passa a ter direito sobre meus bens se vier morar comigo? Advogado Rodrigo Barcellos responde dúvida de leitor sobre pensão. Envie você também suas perguntas Por Rodrigo Barcellos, advogado 17 jun 2018, 07h00 Pergunta da leitora: Já tenho um apartamento há 10 anos, não quitado, e...
Leia mais

Apelação Cível - Ação de dissolução de condomínio

Apelação Cível - Ação de dissolução de condomínio APELAÇÃO CÍVEL - AÇÃO DE DISSOLUÇÃO DE CONDOMÍNIO - PROVA PERICIAL - AUSÊNCIA DE INSURGÊNCIA A TEMPO E MODO - PRECLUSÃO - REDISCUSSÃO NAS RAZÕES RECURSAIS E RENOVAÇÃO DA PROVA - IMPOSSIBILIDADE - DIVISÃO DAS GLEBAS - AUSÊNCIA DE ACORDO ENTRE OS...
Leia mais

Clipping – Tribuna do Paraná -Tensão da pensão!

Clipping – Tribuna do Paraná -Tensão da pensão! Publicado em 11/06/2018 Assunto delicado, o pagamento de alimentos ­ ou “pensão alimentícia” ­ está longe de ser encarado numa boa. Tanto para quem deve quanto para quem recebe, a questão pode, num piscar de olhos, virar motivo de briga: o que não...
Leia mais

Artigo – Usucapião extrajudicial sai do papel – por Luciana Freitas

Artigo – Usucapião extrajudicial sai do papel – por Luciana Freitas Os parâmetros para a usucapião extrajudicial foram definidos pelo Plenário do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). O Provimento 65, editado em 14 de dezembro de 2017 e aprovado no último dia 10 de maio, pelo CNJ, regulamenta a...
Leia mais

TJ/RS nega reconhecimento de união estável post mortem

União estável TJ/RS nega reconhecimento de união estável post mortem Falecido não possuía o intuito de constituir família e tinha seu núcleo familiar juntos dos pais. segunda-feira, 4 de junho de 2018 A 8ª câmara Cível do TJ/RS negou pedido de união estável requerida por mulher de homem que se...
Leia mais
Array
Dúvidas, consulte as fontes indicadas. Todos os direitos reservados