Esperar três anos para se casar pode diminuir as chances de divórcio

Esperar três anos para se casar pode diminuir as chances de divórcio

Publicado em: 22/05/2018

O casamento pode ser um divisor de água em nossas vidas. É uma experiência transformadora, e nos possibilita novos aprendizados frente à questões sentimentais, além de caracterizar uma nova forma de convivência. Porém, alguns casais acabam fazendo esta escolha um pouco cedo, o que pode acarretar em alguns conflitos, que caso não sejam solucionados, causam o divórcio. Porém, segundo um estudo conduzido pela Universidade Emury, casais que esperam três anos ou mais para se casarem, correm menos riscos de se separarem.

Análise de dados

Os pesquisadores entrevistaram mais de 3.000 casais que estavam atualmente ou previamente casados. Eles foram questionados em relação a qualidade da convivência matrimonial, e também sobre o tempo em que namoraram antes de se casarem e quanto dinheiro gastaram para realizar a cerimônia.

Descobriu-se que casais que esperaram de um a dois anos para se casar, tiveram as chances de se divorciarem 20% menores do que a de casais que "oficializaram" a relação em menos de um ano. Porém, aqueles que esperaram no mínimo três anos para se casar, tiveram as chances de se divorciar reduzidas em 50%.

Outro fator importante quando o assunto é divórcio e longevidade, de acordo com a pesquisa, é o quanto você conhece seu parceiro. Os casais entrevistados que afirmaram ter uma grande quantidade de conhecimento sobre o parceiro, relataram ter uma convivência de maior qualidade. Com o bem estar potencializado, as chances de divórcio para quem compreende o próximo também são reduzidas em 50%.

Outro fator a ser considerado como determinante em casos de divórcio, é a diferença de idade entre os casais. Um estudo recente realizado na Austrália, mostra que pessoas que casam com indivíduos muito mais novos ou velhos tendem a ter os níveis de satisfação na relação reduzidos com o passar do tempo.

Conclusões

Para evitar futuras decepções, é necessário refletir sobre a pessoa com quem casamos. Por mais que seja essencial termos confiança na pessoa que nos relacionamos, alguns pontos podem ser questionados antes de tornar as coisas mais "sérias". O diálogo entre você e seu parceiro frente à dificuldades e empecilhos pode garantir que as coisas permaneçam estáveis e felizes.

Fonte: Terra
Extraído de Recivil

Notícias

TJ-SP admite extinção de usufruto de imóvel arrematado em leilão

EFETIVIDADE DA EXECUÇÃO TJ-SP admite extinção de usufruto de imóvel arrematado em leilão 17 de outubro de 2018, 10h29 Por Tadeu Rover Segundo o processo, para fraudar a execução, o devedor simulou uma doação do imóvel aos filhos, reservando o usufruto vitalício a ele e à sua mulher. Leia em...
Leia mais

Homem deve indenizar ex-mulher por traição

Dano moral Homem deve indenizar ex-mulher por traição Juíza considerou que a infidelidade se deu com pessoa que era considerada da família e que trabalhava na empresa pertencente à autora. quinta-feira, 17 de janeiro de 2019 A juíza de Direito Clarissa Somesom Tauk, da 5ª vara da Família e...
Leia mais

Previdência para amantes: descalabro jurídico

Previdência para amantes: descalabro jurídico          Regina Beatriz Tavares da Silva* 17 Janeiro 2019 | 06h00 Em vários artigos anteriores (como aqui, aqui e aqui) já salientei a importância do julgamento pelo Supremo Tribunal Federal (STF) dos Recursos...
Leia mais

Artigo – É meu, seu ou nosso? – Por Marcia Dessen

Artigo – É meu, seu ou nosso? – Por Marcia Dessen Evite conflitos e escolha, antes de casar, o regime da comunhão de bens Nem sempre um casal decide e planeja o casamento. Muitas vezes, acontece aos poucos, e, de repente, estão casados ou vivendo em união estável. Independentemente da forma ou da...
Leia mais

O divórcio do homem mais rico do mundo e o pacto antenupcial

O divórcio do homem mais rico do mundo e o pacto antenupcial          Lucas Marshall Santos Amaral 11 Janeiro 2019 | 04h00 Jeff Bezos e MacKenzie Bezos estão casados há 25 anos. Foi nesse período que ele se tornou o homem mais rico do mundo. Porém, a vida de...
Leia mais

Afeto como elemento basilar da relação familiar

Afeto como elemento basilar da relação familiar    10/01/19 ÀS 00:00 André Vieira Saraiva de Medeiros A família sofreu inúmeras modificações ao longo dos anos e – por consequência do processo evolutivo – a concepção de parentalidade foi extensivamente alterada, sob influência direta da...
Leia mais

A opção extrajudicial de recuperação de empresas

A opção extrajudicial de recuperação de empresas 7 de janeiro de 2019, 6h24 Por Murilo Aires Na recuperação extrajudicial não há intervenção do Ministério Público, nomeação de administrador judicial nem mesmo prazo mínimo de dois anos de supervisão judicial. Confira em Consultor Jurídico
Leia mais
Dúvidas, consulte as fontes indicadas. Todos os direitos reservados