Esperar três anos para se casar pode diminuir as chances de divórcio

Esperar três anos para se casar pode diminuir as chances de divórcio

Publicado em: 22/05/2018

O casamento pode ser um divisor de água em nossas vidas. É uma experiência transformadora, e nos possibilita novos aprendizados frente à questões sentimentais, além de caracterizar uma nova forma de convivência. Porém, alguns casais acabam fazendo esta escolha um pouco cedo, o que pode acarretar em alguns conflitos, que caso não sejam solucionados, causam o divórcio. Porém, segundo um estudo conduzido pela Universidade Emury, casais que esperam três anos ou mais para se casarem, correm menos riscos de se separarem.

Análise de dados

Os pesquisadores entrevistaram mais de 3.000 casais que estavam atualmente ou previamente casados. Eles foram questionados em relação a qualidade da convivência matrimonial, e também sobre o tempo em que namoraram antes de se casarem e quanto dinheiro gastaram para realizar a cerimônia.

Descobriu-se que casais que esperaram de um a dois anos para se casar, tiveram as chances de se divorciarem 20% menores do que a de casais que "oficializaram" a relação em menos de um ano. Porém, aqueles que esperaram no mínimo três anos para se casar, tiveram as chances de se divorciar reduzidas em 50%.

Outro fator importante quando o assunto é divórcio e longevidade, de acordo com a pesquisa, é o quanto você conhece seu parceiro. Os casais entrevistados que afirmaram ter uma grande quantidade de conhecimento sobre o parceiro, relataram ter uma convivência de maior qualidade. Com o bem estar potencializado, as chances de divórcio para quem compreende o próximo também são reduzidas em 50%.

Outro fator a ser considerado como determinante em casos de divórcio, é a diferença de idade entre os casais. Um estudo recente realizado na Austrália, mostra que pessoas que casam com indivíduos muito mais novos ou velhos tendem a ter os níveis de satisfação na relação reduzidos com o passar do tempo.

Conclusões

Para evitar futuras decepções, é necessário refletir sobre a pessoa com quem casamos. Por mais que seja essencial termos confiança na pessoa que nos relacionamos, alguns pontos podem ser questionados antes de tornar as coisas mais "sérias". O diálogo entre você e seu parceiro frente à dificuldades e empecilhos pode garantir que as coisas permaneçam estáveis e felizes.

Fonte: Terra
Extraído de Recivil

Notícias

Meu namorado passa a ter direito sobre meus bens se vier morar comigo?

Meu namorado passa a ter direito sobre meus bens se vier morar comigo? Advogado Rodrigo Barcellos responde dúvida de leitor sobre pensão. Envie você também suas perguntas Por Rodrigo Barcellos, advogado 17 jun 2018, 07h00 Pergunta da leitora: Já tenho um apartamento há 10 anos, não quitado, e...
Leia mais

Apelação Cível - Ação de dissolução de condomínio

Apelação Cível - Ação de dissolução de condomínio APELAÇÃO CÍVEL - AÇÃO DE DISSOLUÇÃO DE CONDOMÍNIO - PROVA PERICIAL - AUSÊNCIA DE INSURGÊNCIA A TEMPO E MODO - PRECLUSÃO - REDISCUSSÃO NAS RAZÕES RECURSAIS E RENOVAÇÃO DA PROVA - IMPOSSIBILIDADE - DIVISÃO DAS GLEBAS - AUSÊNCIA DE ACORDO ENTRE OS...
Leia mais

Clipping – Tribuna do Paraná -Tensão da pensão!

Clipping – Tribuna do Paraná -Tensão da pensão! Publicado em 11/06/2018 Assunto delicado, o pagamento de alimentos ­ ou “pensão alimentícia” ­ está longe de ser encarado numa boa. Tanto para quem deve quanto para quem recebe, a questão pode, num piscar de olhos, virar motivo de briga: o que não...
Leia mais

Artigo – Usucapião extrajudicial sai do papel – por Luciana Freitas

Artigo – Usucapião extrajudicial sai do papel – por Luciana Freitas Os parâmetros para a usucapião extrajudicial foram definidos pelo Plenário do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). O Provimento 65, editado em 14 de dezembro de 2017 e aprovado no último dia 10 de maio, pelo CNJ, regulamenta a...
Leia mais

TJ/RS nega reconhecimento de união estável post mortem

União estável TJ/RS nega reconhecimento de união estável post mortem Falecido não possuía o intuito de constituir família e tinha seu núcleo familiar juntos dos pais. segunda-feira, 4 de junho de 2018 A 8ª câmara Cível do TJ/RS negou pedido de união estável requerida por mulher de homem que se...
Leia mais

Senado aprova projeto que obriga preso a custear gastos na prisão

RESSARCIMENTO AO ERÁRIO Senado aprova projeto que obriga preso a custear gastos na prisão 6 de junho de 2018, 13h06 Por Ana Pompeu A decisão foi terminativa e segue agora para a Câmara dos Deputados, a não ser que algum senador recorra para que seja analisada pelo Plenário da Casa. Confira em...
Leia mais
Dúvidas, consulte as fontes indicadas. Todos os direitos reservados