Institutos federais terão que oferecer cursos para profissionais de educação

09/08/2011 - 14h13

Institutos federais terão que oferecer cursos para profissionais de educação 

Segue para a Câmara dos Deputados projeto que inclui entre os objetivos dos Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia os cursos de formação de profissionais de educação em nível médio e superior.

O projeto de lei (PLS 235/10), aprovado nesta terça-feira (9) pela Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE), em decisão terminativa, prevê ainda a oferta de cursos superiores de tecnologia em processos escolares, destinados à formação dos profissionais conhecidos como "funcionários de escolas", desde que portadores de diploma de curso técnico ou superior em área pedagógica ou afim.

Segundo a autora do projeto, a então senadora Fátima Cleide, o objetivo da proposta é dar aos institutos, como missão específica, a formação não somente em serviço - para um milhão de atuais funcionários de escolas públicas da educação básica - mas a formação em caráter permanente dos futuros funcionários de escola como profissionais de educação de alta qualidade.

Ela explica ainda, na justificação do projeto, que a iniciativa possibilita "à merendeira e à professora, que até hoje provêm de trajetórias e até de mundos diferentes, se encontram na escola ao redor de uma bandeja de café, terem a oportunidade de estarem juntas na mesma sala de aula, nos cursos de formação de nível médio e superior, no ambiente qualificado dos Institutos Federais'.

Atualmente pela Lei 11.892/08, que institui a Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica e os Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia, cabe a estes últimos ministrar educação profissional técnica de nível médio, prioritariamente na forma de cursos integrados, para os concluintes do ensino fundamental e para o público da educação de jovens e adultos. O projeto inclui, neste dispositivo, os cursos de formação de profissionais de educação. Acrescenta ainda, em outro parágrafo, que atualmente permite a oferta somente de cursos de licenciatura, também os cursos superiores de Tecnologia em Processos Escolares.

Favorável ao projeto, o relator, senador Flexa Ribeiro (PSDB-PA), afirma em seu relatório, que a proposta "ajuda a superar a antiga dicotomia entre trabalho intelectual e trabalho manual, dando a todos os educadores a oportunidade de crescer no conhecimento e no domínio das tecnologias contemporâneas".

Para ver a íntegra do que foi discutido na comissão, clique aqui.

Valéria Castanho / Agência Senado
 

Notícias

Esperar três anos para se casar pode diminuir as chances de divórcio

Esperar três anos para se casar pode diminuir as chances de divórcio Publicado em: 22/05/2018 O casamento pode ser um divisor de água em nossas vidas. É uma experiência transformadora, e nos possibilita novos aprendizados frente à questões sentimentais, além de caracterizar uma nova forma de...
Leia mais

Cartórios padronizam mudança de nome e gênero no registro

Cartórios de SP padronizam mudança de nome e gênero no registro Publicado em 21/05/2018 - 17:17 Por Camila Boehm – Repórter da Agência Brasil  São Paulo Os cartórios de registro civil de São Paulo podem, a partir de hoje (21), alterar o nome e gênero de transexuais diretamente na certidão de...
Leia mais

É possível reconhecer fraude à execução em habilitação de sucessores

É possível reconhecer fraude à execução em habilitação de sucessores Publicado em: 18/05/2018 A ação de habilitação de sucessores, embora se destine essencialmente à legitimação de partes, admite o reconhecimento incidental de fraude à execução, seja porque a fraude é questão de ordem pública e,...
Leia mais
Dúvidas, consulte as fontes indicadas. Todos os direitos reservados