Perpetuação de dirigentes na administração de clubes

23/12/2010 - 12h35

 

Projeto limita mandatos de dirigentes de entidades esportivas que recebem verba pública

[Foto: Divulgação]

Na proporção em que aumentam as verbas públicas destinadas à organização da Copa do Mundo de 2014 e da Olimpíada de 2016, cresce a preocupação com a administração e a fiscalização desses recursos. Projeto (PLS 328/10) apresentado do senador Alfredo Cotait (DEM-SP) coloca o foco na democratização das entidades esportivas, o que para muitos seria fundamental para garantir a transparência.

De acordo com o autor da proposta, o projeto evitará os casos de perpetuação de dirigentes na administração de clubes e associações que recebem recursos públicos. "São conhecidos os casos de dirigentes esportivos que se perpetuam nos seus cargos, para tanto recorrendo a artimanhas de todo o tipo, inclusive com evidências de uso das mesmas entidades em proveito pessoal", explica Cotait.

O projeto, que será analisado na próxima legislatura, estabelece que os clubes, federações, confederações e outras associações esportivas não possam receber verbas do Orçamento da União e de empresas sob controle estatal se os mandatos de seus presidentes e diretores excederem a duração de quatro anos.

A matéria admite a reeleição para período de idêntica duração - quatro anos - em um mandato subsequente e prevê sua aplicação aos mandatos dos atuais presidentes e diretores que já ultrapassaram ou vierem ultrapassar o limite estabelecido.

O senador argumenta, ao justificar a proposta, que os clubes e associações esportivas que recebem verbas do Orçamento ou de instituições públicas devem se submeter aos princípios republicanos e seguir - na eleição de seus dirigentes - os mesmos parâmetros adotados para cargos do Poder Executivo.

O projeto será analisado primeiramente pela Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE) e posteriormente pela Comissão de Assuntos Econômicos, cabendo a esta decisão terminativa.

Rodrigo Baptista / Agência Senado
 

Notícias

Pensão por morte: Nova lei torna mais difícil obter o benefício

Pensão por morte: Nova lei torna mais difícil obter o benefício 12 de julho de 2019 Longe de algum dia ter sido fácil. A comprovação de união estável perante o INSS complica a cada mudança legislativa promovida pelo governo federal. Com a Lei 13.846 foram estabelecidas regras mais rigorosas na...
Leia mais

Inventários e partilhas: melhor fora do Judiciário

Inventários e partilhas: melhor fora do Judiciário        Luciana Gouvêa* 12 de julho de 2019 | 06h00 Quando morre uma pessoa e existem bens a serem passados para herdeiros (sucessão), legalmente isso só pode ser feito por intermédio de Inventário e de Partilha. O...
Leia mais

Não sou casado(a) no papel! Quais são os meus direitos?

11 de Julho de 2019 às 10:34  Não sou casado(a) no papel! Quais são os meus direitos?  Essa situação é chamada pelo direito de União Estável. É muito comum lermos e ouvirmos falar de questões que envolvem o casamento e as consequências do seu término, isto é, do divórcio. Mas certamente...
Leia mais
Dúvidas, consulte as fontes indicadas. Todos os direitos reservados