Perpetuação de dirigentes na administração de clubes

23/12/2010 - 12h35

 

Projeto limita mandatos de dirigentes de entidades esportivas que recebem verba pública

[Foto: Divulgação]

Na proporção em que aumentam as verbas públicas destinadas à organização da Copa do Mundo de 2014 e da Olimpíada de 2016, cresce a preocupação com a administração e a fiscalização desses recursos. Projeto (PLS 328/10) apresentado do senador Alfredo Cotait (DEM-SP) coloca o foco na democratização das entidades esportivas, o que para muitos seria fundamental para garantir a transparência.

De acordo com o autor da proposta, o projeto evitará os casos de perpetuação de dirigentes na administração de clubes e associações que recebem recursos públicos. "São conhecidos os casos de dirigentes esportivos que se perpetuam nos seus cargos, para tanto recorrendo a artimanhas de todo o tipo, inclusive com evidências de uso das mesmas entidades em proveito pessoal", explica Cotait.

O projeto, que será analisado na próxima legislatura, estabelece que os clubes, federações, confederações e outras associações esportivas não possam receber verbas do Orçamento da União e de empresas sob controle estatal se os mandatos de seus presidentes e diretores excederem a duração de quatro anos.

A matéria admite a reeleição para período de idêntica duração - quatro anos - em um mandato subsequente e prevê sua aplicação aos mandatos dos atuais presidentes e diretores que já ultrapassaram ou vierem ultrapassar o limite estabelecido.

O senador argumenta, ao justificar a proposta, que os clubes e associações esportivas que recebem verbas do Orçamento ou de instituições públicas devem se submeter aos princípios republicanos e seguir - na eleição de seus dirigentes - os mesmos parâmetros adotados para cargos do Poder Executivo.

O projeto será analisado primeiramente pela Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE) e posteriormente pela Comissão de Assuntos Econômicos, cabendo a esta decisão terminativa.

Rodrigo Baptista / Agência Senado
 

Notícias

Confira a diferença entre união estável e casamento

Confira a diferença entre união estável e casamento Veja aspectos e impactos das duas formas de união na vida do casal 18/03/2019 15h54 - Atualizado em 18/03/2019 18h15 Atualmente, do ponto de vista familiar, a união estável pouco difere do casamento. Por outro lado, quando se pensa no lado...
Leia mais

25 super dicas para você melhorar a qualidade das suas peças jurídicas

Sexta-feira, 23 de janeiro de 2015 25 super dicas para você melhorar a qualidade das suas peças jurídicas Selecionamos 25 dicas para advogados, promotores e concurseiros melhorarem as suas peças jurídicas. O pequeno manual foi produzido pelos procuradores da República Gustavo Torres Soares e Bruno...
Leia mais

Deputado requenta projeto de lei que quer acabar com o Exame de Ordem

PROPOSTA ANTIGA Deputado requenta projeto de lei que quer acabar com o Exame de Ordem 11 de março de 2019, 13h58 Por Fernanda Valente A justificativa para o fim do Exame de Ordem para os bacharéis em Direito é a equiparação com as outras profissões do país que "não têm a necessidade de se...
Leia mais

Imóvel de inventários exige maiores cuidados

Imóvel de inventários exige maiores cuidados Diário das Leis - Noticias Kênio de Souza Pereira  Quando uma pessoa falece, imediatamente todo o seu patrimônio é transmitido aos herdeiros, sendo que o inventário consiste na formalização da divisão dos bens, de modo que o formal de partilha...
Leia mais

Mudar o vigente regime sucessório brasileiro é urgente

DIREITO CIVIL ATUAL Mudar o vigente regime sucessório brasileiro é urgente 11 de março de 2019, 8h02 Por Carlos Alberto Garbi Embora o modelo familiar atual revele profundas transformações ocorridas nos últimos anos, o direito sucessório pouco mudou para acompanhar a nova família[5], mostrando-se...
Leia mais

Imunidade do ITBI independe da forma de avaliação do imóvel colacionado

CONSULTOR TRIBUTÁRIO Imunidade do ITBI independe da forma de avaliação do imóvel colacionado 6 de março de 2019, 9h32 Por Igor Mauler Santiago A celeuma provém do artigo 23 da Lei 9.249/95, segundo o qual “as pessoas físicas poderão transferir a pessoas jurídicas, a título de integralização de...
Leia mais
Dúvidas, consulte as fontes indicadas. Todos os direitos reservados