Projeto de lei cria a Política Federal de Ciclologística

Reila Maria/Câmara dos Deputados
Rodrigo Coelho: bicicletas passaram a integrar complexa cadeia logística

Comissão aprova regulamentação do transporte de bens e serviços por meio de bicicletas e triciclos

Pela proposta, a administração pública poderá priorizar esse meio de transporte para a realização de serviços públicos

03/01/2022 - 16:38

A Comissão de Viação e Transportes da Câmara dos Deputados aprovou projeto de lei que cria a Política Federal de Ciclologística, a fim de regulamentar o transporte de bens e serviços por meio de bicicletas e triciclos no País. O objetivo é estimular e monitorar a logística sustentável no Brasil.

O texto aprovado prevê, por exemplo, parcerias entre a administração pública e pontos de comércio e serviços a fim de disponibilizar espaços de parada para os ciclo-entregadores, com locais para carregamento de bateria de celular, uso de banheiros e acesso à água potável.

Entre outras medidas, a política estabelece que a administração pública poderá priorizar a ciclologística para a realização de serviços públicos sempre que a natureza do serviço permitir, além de exigir que bicicletas e triciclos de carga estejam sempre  equipados com retrovisor, luz e campainha ou buzina.

O Projeto de Lei 3599/20, do deputado Eduardo Bismarck (PDT-CE), foi aprovado na forma do substitutivo do relator, deputado Rodrigo Coelho (Pode-SC). Em resumo, Bismarck propõe requisitos para o prestador do serviço, define equipamentos mínimos a serem usados na bicicleta e pelo ciclista e ainda alguns benefícios para o trabalhador.

O texto do projeto exige que o serviço seja realizado por maiores de 18 anos devidamente inscritos como contribuintes individuais na Previdência Social ou como microempreendedores individuais (MEI), estabelece um jornada máxima de 10 horas por dia e proíbe remuneração menor que o salário mínimo diário. O substitutivo aprovado não aborda esses pontos.

Coelho afirma que a criação a política de ciclologística por meio do substitutivo representa “um marco na modernização da legislação referente a entregas feitas por meio de veículos de propulsão humana”.

Ele lembra que as bicicletas, até então utilizadas em deslocamentos curtos e no lazer, se tornaram veículos de uma complexa cadeia logística de alimentos, remédios e outros itens essenciais.

“A velocidade com que esse fenômeno se deu e seu ineditismo culminaram em um cenário no qual as regras vigentes não são capazes de garantir o bom andamento dessas atividades”, disse o relator.

A Política Federal de Ciclologística determina que futuros bicicletários públicos devem ser projetados para abrigar bicicletas e triciclos cargueiros, além de armários com cadeado para guarda de pertences pessoais de entregadores durante o período de trabalho.

O texto também permite o estacionamento de bicicletas e triciclos cargueiros nas vagas existentes em vias públicas.

Tramitação
O projeto será ainda analisado, em caráter conclusivo, pelas comissões de Desenvolvimento Econômico, Indústria, Comércio e Serviços; de Trabalho, de Administração e Serviço Público; e de Constituição e Justiça e de Cidadania
.

Reportagem – Murilo Souza 

Edição – Geórgia Moraes

Fonte: Agência Câmara de Notícias

 

Notícias

Artigo – Sou filho único. Preciso mesmo abrir um inventário?

Artigo – Sou filho único. Preciso mesmo abrir um inventário? Inventário é a abertura de um processo judicial ou extrajudicial, no qual é feita a descrição de todos os bens do falecido e qual quinhão pertencerá a cada herdeiro. A perca de um ente querido é sempre um momento muito difícil, na verdade...

Valor Econômico – Judiciário concede separação por liminar

Valor Econômico – Judiciário concede separação por liminar Nos últimos anos, medida sem prévia citação de uma das partes sobre o processo tem se tornado menos rara A prática tem se consolidado desde então, segundo Rodrigo da Cunha Pereira, presidente do Instituto Brasileiro de Direito de Família...

Casamento homoafetivo ainda não é regulamentado por lei no Brasil

Casamento homoafetivo ainda não é regulamentado por lei no Brasil Janaína Araújo | 19/01/2022, 10h10 O casamento homoafetivo no Brasil ainda não foi regulamentado por lei, embora seja garantido por decisão do Supremo Tribunal Federal (STF). Esse é um dos pontos que ficaram de fora do novo Código...

Valor Econômico – Artigo – Nova proposta para o Marco Legal de Garantias

Valor Econômico – Artigo – Nova proposta para o Marco Legal de Garantias A proposta é um importante mecanismo de aprimoramento do mercado imobiliário e de oferta ao crédito No fim de novembro, o governo federal enviou ao Congresso Nacional o Projeto de Lei nº 4.188/21, o novo Marco Legal das...

Projeto quer alterar CPC e regras de julgamentos

Projeto quer alterar CPC e regras de julgamentos O texto, que tramita no Senado, tem como objetivo deixar as decisões dos Tribunais Superiores e de 2ª instância mais claras. quarta-feira, 5 de janeiro de 2022 Está em tramitação no Senado Federal o PL 4.311/21, de autoria do senador Rodrigo Cunha,...

Não é possível usucapião de imóvel abandonado financiado pelo SFH, diz STJ

FUNÇÃO PÚBLICA Não é possível usucapião de imóvel abandonado financiado pelo SFH, diz STJ 23 de dezembro de 2021, 18h19 Por Danilo Vital Em seu voto, a ministra Nancy Andrighi explica que os imóveis públicos, mesmo desocupados, possuem finalidade específica, de atender a necessidades da...