Antes dos 35

Extraído de Revista INCorporativa

Antes dos 35: Mulheres profissionais em cargo de liderança

E de onde vem tanto sucesso?


03/03/2011

Com a aproximação do Dia Internacional da Mulher (8/3) é inevitável observar que elas estão cada vez mais presentes no mercado de trabalho. Segundo dados da Organização Mundial da Saúde de 2009, as mulheres ocupam 1,2 bilhão de postos. Hoje no Brasil são cerca de 97,5 milhões de mulheres no país, dessas 36% dos cargos de chefia*.

Renata Aledo, 28 anos, gerente de produto da indústria farmacêutica anglo-americana Shire, que comercializa medicamentos voltados para doenças raras, é um bom exemplo disso. Contratada nos Estados Unidos em 2009 após concluir seu MBA em Gerenciamento de Pessoas na La Salle University, Pensilvânia, a jovem foi convidada para atuar no Brasil pela experiência adquirida nos Estados Unidos durante os quatro anos e meio em que estudou e trabalhou no país.

“Já atuei no lançamento de um medicamento voltado para o Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade nos Estados Unidos, a experiência me ofereceu bagagem e visibilidade suficiente sobre como atuar, conhecer meus concorrentes e as melhores práticas. Aceitei a proposta de vir para o Brasil para encarar novos desafios”, conclui a executiva em plena ascensão profissional.

Outro exemplo de mulher bem sucedida, na área de saúde, é a dentista especialista em periodontia e radiologia, sócia- executiva da Simplan Implante Dentário, Alessandra Domingos. Aos 34 anos, traz na sua história a criação de uma rede de clinicas especializadas em Implantes Dentários. “Começamos em 2008 com 3 clínicas e 5 cadeiras de dentista. Hoje, a Simplan soma 5 unidades próprias, 40 cadeiras de dentistas e 100 profissionais. E vamos abrir novas clínicas esse ano”, comenta Alessandra.

E de onde vem tanto sucesso? De acordo com Alessandra, da versatilidade da mulher em atuar em vários papéis. “É uma luta diária, mas realizadora. Estou à frente dos negócios, além de ser mãe de dois filhos, filha, irmã e dentista. Acredito que essa característica venha do instinto materno, que envolve características como dedicação, facilidade para ouvir, ponderar situações de estresse, entre outras, que se aplicam também à gestão de negócios. Diariamente, uso essas características mais "femininas" para cuidar junto com meus sócios da empresa, para que ela cresça com maturidade e de modo saudável, assim como uma mãe espera de um filho. Está dando certo!”, finaliza.

*Dados da pesquisa realizada pelo Great Pleace to Work



 

 

Notícias

Execução de alimentos antiga não deixa de ser urgente, decide STJ

PENSÃO ALIMENTÍCIA Execução de alimentos antiga não deixa de ser urgente, decide STJ 13 de novembro de 2018, 16h56 Por Gabriela Coelho “A dispensa inicial de alimentos pela convivente não invalida o acordo que fora entabulado entre as partes posteriormente". Leia em Consultor Jurídico
Leia mais

JURISTAS: GUARDA COMPARTILHADA - COMO TORNAR O PROCESSO MENOS DOLOROSO

JURISTAS: GUARDA COMPARTILHADA - COMO TORNAR O PROCESSO MENOS DOLOROSO Publicado em: 12/11/2018 Um levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) com dados colhidos entre 1984 e 2016 indica que, no Brasil, um em cada três casamentos resulta em divórcio. E na maioria das...
Leia mais

Contratos de namoro qualificado, namoro qualificado e união estável

Postado em 08 de Novembro de 2018 - 15:31 Contratos de namoro qualificado, namoro qualificado e união estável Por conta do entendimento de que o núcleo de afeto permite o reconhecimento de uma união familiar, pessoas tem, de modo cada vez mais frequente entabulado contratos de namoro, de namoro...
Leia mais

Ameaça espiritual serve para configurar crime de extorsão

DECISÃO 09/03/2017 08:42 Ameaça espiritual serve para configurar crime de extorsão Em decisão unânime, a Sexta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) considerou que a ameaça de emprego de forças espirituais para constranger alguém a entregar dinheiro é apta a caracterizar o...
Leia mais

O sobrenome do enteado

O sobrenome do enteado          Regina Beatriz Tavares da Silva* 08 Novembro 2018 | 05h00 Em 2009, a Lei 11.924/09, também conhecida com Lei Clodovil por ser de autoria de famoso costureiro, que também foi deputado, alterou a Lei dos Registros Públicos, dando a...
Leia mais

Argentina concede certidão de nascimento sem menção de sexo

Argentina concede certidão de nascimento sem menção de sexo Publicado em: 07/11/2018 Pela primeira vez na Argentina uma pessoa obteve sua certidão de nascimento, da qual deriva toda a documentação restante, sem qualquer menção de sexo, conforme a Lei de Identidade de Gênero aprovada em 2012 no...
Leia mais
Dúvidas, consulte as fontes indicadas. Todos os direitos reservados