Cartório: uma das instituições mais confiáveis do Brasil

Cartórios evoluem no número de serviços com segurança à população

Publicado em: 15/05/2018

Considerados em pesquisa do Datafolha como uma das instituições mais confiáveis do Brasil, os cartórios conquistaram esse status junto à população pela segurança jurídica transmitida nos últimos anos. Mas os avanços nos serviços prestados vão muito além, garantem celeridade aos processos e geram economia de milhões aos cofres públicos.

Ely Ayache, tabelião de notas em Campo Grande e presidente do CNB (Colégio Notarial Brasileiro), cita como exemplo das contribuições ao País a atuação em situações muito comuns: os divórcios consensuais e os inventários, que desde 2007 podem ser resolvidos diretamente nos cartórios.

Antes, esses casos demoravam meses até a conclusão e intensificavam a morosidade nas Varas de Família. Desde que houve a mudança, mais de 1,8 milhão de processos foram resolvidos diretamente nos cartórios, uma economia estimada em R$ 4,2 bilhões para o Poder Judiciário.

“A Justiça hoje está sobrecarregada e não aguenta mais. E nós estamos prestando um serviço de qualidade. Como exercemos a atividade de forma privada, conseguimos absorver a demanda de forma ágil, nos adaptando ao novo serviço sem os entraves do serviço público”, explica.

Segundo Ayache, para a população os efeitos foram sentidos de maneira ainda mais evidente. “Um levantamento como de inventários, por exemplo, poderia demorar de um a três anos na Justiça. Nós fazemos, dependendo da complexidade, em 30 dias. Tive casos simples que foram resolvidos em uma semana”, diz Ely.

Nesse processo de desjudicialização, segundo a CNB, foram realizados 1,2 milhão de inventários, 87.520 partilhas, 53.053 separações e 620.221 divórcios em todo o país, com menos burocracia e rapidamente.

Este ano, os cartórios notariais de Mato Grosso do Sul também começam a emitir a Certidão de Comunicação de Venda de Veículos. Agora, no ato de reconhecimento de firma, o vendedor poderá solicitar o documento e a certidão será expedida na hora, sem a necessidade de retornar ao Detran, como ocorria antes.

Quebra de paradigma – Ao assumirem cada vez mais funções, os cartórios passaram por um processo de profissionalização que deixou para trás aquela imagem de repartição apertada, onde as pessoas aguardavam atendimento em longas filas que demoravam horas para andar.

Hoje, os serviços são feitos em sua maioria em espaços planejados, para dar conforto aos cidadãos e organizar as atividades dos próprios funcionários de modo que eles consigam atuar rapidamente e com eficiência.

Isso foi possível graças ao concurso feito pelo poder público para concessionar o serviço. No Brasil existem mais de 5,5 mil cartórios funcionando dessa forma, sempre em busca excelência em todos os procedimentos.

Além disso, existe a própria divisão dos estabelecimentos por serviços para evitar que eles mesmos não fiquem sobrecarregados e também para organizar o processo, de modo que a população saiba a quem recorrer dependendo de cada caso.

Ely explica que existem os cartórios de notas, que trabalham com procurações, escrituras e reconhecimento de firmas. Os de registros de imóveis emitem títulos de propriedade e fazem as averbações.

Os cartórios de protesto recebem títulos ou documentos em dívida, atestando a inadimplência, notificando os devedores. Por fim, os de registro civil emitem certidões de nascimento, casamento e óbito. Este é o cartório com mais serviços gratuitos disponíveis à população.

Na última pesquisa do Instituto Datafolha, os cartórios ficaram no topo do ranking de confiança nacional dentre todas as instituições públicas e privadas avaliadas. Em uma escala de confiança de zero a dez, alcançaram a média de 7,6. Veja o levantamento:

Fonte: Campo Grande News
Extraído de Recivil

Notícias

Previdência para amantes: descalabro jurídico

Previdência para amantes: descalabro jurídico          Regina Beatriz Tavares da Silva* 17 Janeiro 2019 | 06h00 Em vários artigos anteriores (como aqui, aqui e aqui) já salientei a importância do julgamento pelo Supremo Tribunal Federal (STF) dos Recursos...
Leia mais

Artigo – É meu, seu ou nosso? – Por Marcia Dessen

Artigo – É meu, seu ou nosso? – Por Marcia Dessen Evite conflitos e escolha, antes de casar, o regime da comunhão de bens Nem sempre um casal decide e planeja o casamento. Muitas vezes, acontece aos poucos, e, de repente, estão casados ou vivendo em união estável. Independentemente da forma ou da...
Leia mais

O divórcio do homem mais rico do mundo e o pacto antenupcial

O divórcio do homem mais rico do mundo e o pacto antenupcial          Lucas Marshall Santos Amaral 11 Janeiro 2019 | 04h00 Jeff Bezos e MacKenzie Bezos estão casados há 25 anos. Foi nesse período que ele se tornou o homem mais rico do mundo. Porém, a vida de...
Leia mais

Afeto como elemento basilar da relação familiar

Afeto como elemento basilar da relação familiar    10/01/19 ÀS 00:00 André Vieira Saraiva de Medeiros A família sofreu inúmeras modificações ao longo dos anos e – por consequência do processo evolutivo – a concepção de parentalidade foi extensivamente alterada, sob influência direta da...
Leia mais

A opção extrajudicial de recuperação de empresas

A opção extrajudicial de recuperação de empresas 7 de janeiro de 2019, 6h24 Por Murilo Aires Na recuperação extrajudicial não há intervenção do Ministério Público, nomeação de administrador judicial nem mesmo prazo mínimo de dois anos de supervisão judicial. Confira em Consultor Jurídico
Leia mais
Dúvidas, consulte as fontes indicadas. Todos os direitos reservados