É o uso que faz a língua

No feminino, o correto é dizer "oficial" ou "oficiala" de justiça?

(23.07.10)

 

A utilização, algumas vezes, por esta página, da expressão "oficiala de justiça" - quando se trata de servidora do sexo feminino - deixou uma dúvida na leitora Ana Paula Picolotto Vieira, estagiária de um escritório de Advocacia de Bento Gonçalves.

A palavra com "a" no final estaria correta? - questionou ela. O colunista sentiu-se instigado e foi ouvir o editor e professor de Língua Portuguesa Paulo Flávio Ledur. Eis sua opinião:

"Em que pese os dicionários, em regra, registrarem oficiala como feminino de oficial, é raro encontrarmos esse uso, o que, aliás, ocorre com as funções em que a participação da mulher é fato recente.

No Exército e na Brigada Militar, por exemplo, adotaram-se denominações como capitão feminino Fulana, sargento feminino Sicrana, etc., em vez das formas diretas: capitã, sargenta, ...

Nas áreas em que a participação da mulher é mais antiga, tal não ocorre, estando consagradas as formas diretas: professora, advogada, médica, etc.

Por mais paradoxal que seja, na verdade é o uso que faz a língua, razão por que se deve respeitá-lo. Apesar disso, sou defensor da passagem direta de todas essas funções para o feminino e entendo que isso é apenas uma questão de tempo. Aposto que no futuro todos dirão oficiala, coronela, capitã, sargenta, soldada e até mesmo caba como feminino de cabo, por mais estranha que essa forma hoje possa parecer.

Entendo também que a mulher deve lutar por isso".

 

Fonte: www.espacovital.com.br
 

 

Notícias

A mediação como ferramenta na resolução de conflitos no âmbito da falência

A mediação como ferramenta na resolução de conflitos no âmbito da falência Dídimo Inocêncio de Paula e Maria Luísa Costa A compatibilidade entre instrumentos de mediação e conciliação se deve ao seu caráter negocial e revela-se para viabilizar a maximização de êxito e identificar soluções...

Juíza determina que pai tenha apenas contato remoto com o filho

GUARDA UNILATERAL Juíza determina que pai tenha apenas contato remoto com o filho 26 de janeiro de 2023, 12h19 Ela explicou que a decisão não é definitiva, mas entendeu que é justificada já que o genitor responde a processo que pode culminar na perda de direitos paternos. Confira em Consultor...

Guarda compartilhada dos filhos após a dissolução de um casamento

Guarda compartilhada dos filhos após a dissolução de um casamento Guilherme Dolabella e Samili Woichekoski A família possui enorme importância para a sociedade, existindo um tratamento diferenciado pelo estado, e a guarda compartilhada possui um grande papel para o exercício da paternidade ou...