Chineses agora podem até pedir divórcio por aplicativo de mensagens

Origem da Imagem: Época Negócios
APLICATIVO WECHAT TEM CADA VEZ MAIS FUNÇÕES QUE O TORNAM INDISPENSÁVEL PARA O DIA A DIA DOS CHINESES (FOTO: DIVULGAÇÃO)

04/06/2018 - 17H51 - POR ÉPOCA NEGÓCIOS ONLINE

Chineses agora podem até pedir divórcio por aplicativo de mensagens

WeChat, app de comunicação mais usado no país asiático, lançou funcionalidades novas para o dia a dia dos usuários

Plataforma mais utilizada pelos chineses para conversas virtuais, o WeChat está testando uma função no mínimo curiosa para seus usuários: a de registrar um pedido de divórcio no próprio aplicativo.

Conforme noticia o Business Insider, quem primeiro notou a nova opção foi Matthew Brennan, consultor de tecnologia especialista em WeChat, que vive na China. Em um tuíte, ele mostrou como, dentro do aplicativo, os chineses podem requerer o divórcio:

A funcionalidade foi disponibilizada primeiramente na província de Guangdong, onde estão cidades bastante populosas como Guangzhou e Shenzhen. Por meio do app, os casais dessas regiões que desejam se divorciar podem marcar uma reunião com os escritórios de divórcio locais.

O WeChat inseriu a função dentro de um menu em que os usuários podem obter modelos de documentos comumente utilizados para propósitos diversos. Há uma seção de “casamento”, com a opção “marcar um encontro para registro de divórcio”. Após clicar, a pessoa é levada a uma página que confirma o endereço e outros dados de residentes na China.

Segundo Brennan afirmou ao site, funcionalidades que oficializam compromissos da “vida real” são comuns no WeChat. Da mesma forma que o divórcio, um registro de casamento pode ser solicitado no app. Outros recursos adicionados recentemente, afirma o consultor, são a criação de cópias de documentos como carteira de motorista e passaportes.

O WeChat tem mais de 1 bilhão de usuários ativos mensalmente, segundo o último balanço anual da companhia.

Fonte: Época Negócios

Notícias

Meu namorado passa a ter direito sobre meus bens se vier morar comigo?

Meu namorado passa a ter direito sobre meus bens se vier morar comigo? Advogado Rodrigo Barcellos responde dúvida de leitor sobre pensão. Envie você também suas perguntas Por Rodrigo Barcellos, advogado 17 jun 2018, 07h00 Pergunta da leitora: Já tenho um apartamento há 10 anos, não quitado, e...
Leia mais

Apelação Cível - Ação de dissolução de condomínio

Apelação Cível - Ação de dissolução de condomínio APELAÇÃO CÍVEL - AÇÃO DE DISSOLUÇÃO DE CONDOMÍNIO - PROVA PERICIAL - AUSÊNCIA DE INSURGÊNCIA A TEMPO E MODO - PRECLUSÃO - REDISCUSSÃO NAS RAZÕES RECURSAIS E RENOVAÇÃO DA PROVA - IMPOSSIBILIDADE - DIVISÃO DAS GLEBAS - AUSÊNCIA DE ACORDO ENTRE OS...
Leia mais

Clipping – Tribuna do Paraná -Tensão da pensão!

Clipping – Tribuna do Paraná -Tensão da pensão! Publicado em 11/06/2018 Assunto delicado, o pagamento de alimentos ­ ou “pensão alimentícia” ­ está longe de ser encarado numa boa. Tanto para quem deve quanto para quem recebe, a questão pode, num piscar de olhos, virar motivo de briga: o que não...
Leia mais

Artigo – Usucapião extrajudicial sai do papel – por Luciana Freitas

Artigo – Usucapião extrajudicial sai do papel – por Luciana Freitas Os parâmetros para a usucapião extrajudicial foram definidos pelo Plenário do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). O Provimento 65, editado em 14 de dezembro de 2017 e aprovado no último dia 10 de maio, pelo CNJ, regulamenta a...
Leia mais

TJ/RS nega reconhecimento de união estável post mortem

União estável TJ/RS nega reconhecimento de união estável post mortem Falecido não possuía o intuito de constituir família e tinha seu núcleo familiar juntos dos pais. segunda-feira, 4 de junho de 2018 A 8ª câmara Cível do TJ/RS negou pedido de união estável requerida por mulher de homem que se...
Leia mais

Senado aprova projeto que obriga preso a custear gastos na prisão

RESSARCIMENTO AO ERÁRIO Senado aprova projeto que obriga preso a custear gastos na prisão 6 de junho de 2018, 13h06 Por Ana Pompeu A decisão foi terminativa e segue agora para a Câmara dos Deputados, a não ser que algum senador recorra para que seja analisada pelo Plenário da Casa. Confira em...
Leia mais
Dúvidas, consulte as fontes indicadas. Todos os direitos reservados