Juiz converte união estável em casamento

Origem da Imagem/Fonte: TJMG
O juiz Juliano Veiga celebrou a conversão de união estável em casamento de recuperandos em Januária

Juiz converte união estável em casamento em Januária

Os recuperandos cumprem pena em presídio e Apac

14/06/2018 14h59 - Atualizado em 14/06/2018 15h07

O juiz da 1ª Vara Cível, Criminal e de Execuções Penais da comarca de Januária, Juliano Carneiro Veiga, celebrou no último dia 12 de junho, a conversão de união estável em casamento de recuperandos que se encontram cumprindo pena no presídio comum e na Associação de Proteção e Assistência aos Condenados (Apac) de Januária.

A celebração foi realizada no salão do júri da comarca de Januária. Os agentes penitenciários foram à paisana para acompanhar os presos, no intuito de favorecer um ambiente mais propício à celebração.

A Constituição da República prevê, no artigo 226, que deve ser facilitada a conversão da união estável em casamento. Em 2017, o juiz Juliano Carneiro Veiga comenta que fez mais de 150 conversões de uniões estáveis em casamento em Januária.  “Mas foi a primeira vez que tal ação de cidadania (conversão de união estável em casamento de recuperandos) foi realizada no âmbito da execução penal”, disse.

O juiz Juliano Veiga acredita que essa iniciativa contribui para a promoção da dignidade das pessoas que se encontram em cumprimento de pena, valorizando a presença das famílias no processo de recuperação e ressocialização dos apenados. A data da celebração foi escolhida por ser o dia dos namorados e termos diversas situações de convivências informais, nas quais os casais já possuem filhos, mas não oficializaram a união.

Governador Valadares

O juiz da 2ª Vara Cível e coordenador do Centro Judiciário de Soluções de Conflitos e Cidadania da comarca de Governador Valadares, Roberto Apolinário de Castro conduziu, em maio, 22 audiências de conversão de união estável em casamento, na igreja Universal do Reino de Deus, com apoio do pastor Cristiano Gonçalves e o advogado Denys Almeida.

Assessoria de Comunicação Institucional – Ascom
Fonte: Tribunal de Justiça de Minas Gerais – TJMG

Notícias

Execução de alimentos antiga não deixa de ser urgente, decide STJ

PENSÃO ALIMENTÍCIA Execução de alimentos antiga não deixa de ser urgente, decide STJ 13 de novembro de 2018, 16h56 Por Gabriela Coelho “A dispensa inicial de alimentos pela convivente não invalida o acordo que fora entabulado entre as partes posteriormente". Leia em Consultor Jurídico
Leia mais

JURISTAS: GUARDA COMPARTILHADA - COMO TORNAR O PROCESSO MENOS DOLOROSO

JURISTAS: GUARDA COMPARTILHADA - COMO TORNAR O PROCESSO MENOS DOLOROSO Publicado em: 12/11/2018 Um levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) com dados colhidos entre 1984 e 2016 indica que, no Brasil, um em cada três casamentos resulta em divórcio. E na maioria das...
Leia mais

Contratos de namoro qualificado, namoro qualificado e união estável

Postado em 08 de Novembro de 2018 - 15:31 Contratos de namoro qualificado, namoro qualificado e união estável Por conta do entendimento de que o núcleo de afeto permite o reconhecimento de uma união familiar, pessoas tem, de modo cada vez mais frequente entabulado contratos de namoro, de namoro...
Leia mais

Ameaça espiritual serve para configurar crime de extorsão

DECISÃO 09/03/2017 08:42 Ameaça espiritual serve para configurar crime de extorsão Em decisão unânime, a Sexta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) considerou que a ameaça de emprego de forças espirituais para constranger alguém a entregar dinheiro é apta a caracterizar o...
Leia mais

O sobrenome do enteado

O sobrenome do enteado          Regina Beatriz Tavares da Silva* 08 Novembro 2018 | 05h00 Em 2009, a Lei 11.924/09, também conhecida com Lei Clodovil por ser de autoria de famoso costureiro, que também foi deputado, alterou a Lei dos Registros Públicos, dando a...
Leia mais

Argentina concede certidão de nascimento sem menção de sexo

Argentina concede certidão de nascimento sem menção de sexo Publicado em: 07/11/2018 Pela primeira vez na Argentina uma pessoa obteve sua certidão de nascimento, da qual deriva toda a documentação restante, sem qualquer menção de sexo, conforme a Lei de Identidade de Gênero aprovada em 2012 no...
Leia mais
Dúvidas, consulte as fontes indicadas. Todos os direitos reservados