Soluções tecnológicas reforçam audiências de conciliação

Origem da Imagem/Fonte: CNJ
Foto: TJRO

Soluções tecnológicas reforçam audiências de conciliação

17 de novembro de 2020Notícias CNJ / Agência CNJ de Notícias

O uso da tecnologia para incentivar acordos na Justiça ganhou força neste ano de 2020, por conta da pandemia do novo coronavírus (Covid-19). Para viabilizar a continuidade da prestação jurisdicional, os tribunais investiram em soluções, equipamentos e formação e conseguiram promover soluções adequadas aos conflitos por meio da conciliação.

Uma das plataformas mais usadas pelos tribunais foi a Webex, disponibilizada gratuitamente pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) em parceria com a Cisco, que permitiu a realização de audiências por todo o país. A partir de treinamento realizado pelo CNJ, a equipe de conciliadores do Tribunal Judiciário do Distrito Federal e Territórios (TJDFT) se familiarizou com as novas ferramentas e buscou o aperfeiçoamento para humanizar atos virtuais.

A juíza do TJDFT Marina Xavier conta que o primeiro caso de audiência telepresencial terminou com um acordo e um pedido de desculpas formal. As partes se encontravam em estados diferentes. E uma era portadora de surdez. “O Núcleo de Inclusão do TJDFT providenciou dois intérpretes em Libras e foi possível realizar a sessão de forma eficiente e acessível.”

De acordo com ela, entre abril e agosto deste ano, os Centros Judiciários de Solução de Conflitos e Cidadania de Brasília (Cejuscs) no DF realizaram quase 13,2 mil sessões de conciliação. Para facilitar o acesso e aumentar a transparência, o tribunal reestruturou o modelo de atendimento e centralizou todas as informações em um único canal. “Temos investido bastante na acessibilidade do novo formato, para garantir que todos tenham acesso à Justiça, mesmo com a suspensão do atendimento presencial.”

Ferramentas

No Tribunal no Rio de Janeiro (TJRJ), a estratégia foi semelhante. Segundo o desembargador Cesar Cury, todo o trabalho é desenvolvido com o Cisco Webex e na plataforma MS-Teams. Também foi empregado um sistema desenvolvido especialmente para um processo de Recuperação Judicial, cedido e adaptado para uso nos Cejuscs. Foram realizadas, ao todo, 110 mediações pré-processuais e 70 judiciais.

Outro recurso tecnológico importante no TJRJ é o aplicativo para celular que foi criado para viabilizar a conciliação pré-processual. A plataforma possibilita a realização de sessões de conciliação, além do agendamento, consulta e acompanhamento das sessões pelos mediadores e pelo Núcleo Permanente de Mediação e Conciliação (Nupemec). Nele também é possível fazer upload e download de documentos, áudio, vídeo, autenticação digital, além do cadastro dos mediadores.

Cury conta que, com essas ferramentas, o TJRJ promoveu a conciliação em um caso relativo a uma disputa empresarial entre dois sócios, em que as dificuldades da empresa se agravaram devido à pandemia. “Após inicial resistência à conciliação, ambos aderiram e passaram a trabalhar em direção a uma solução que resultou não apenas no término do processo, mas na retomada da atividade empresarial para ultrapassar a fase crítica da pandemia. Tudo também on-line.”

Hallana Moreira
Agência CNJ de Notícias
(sob supervisão de Márcio Leal)
Fonte: CNJ

Notícias

Senado pode votar na quarta-feira nova Lei de Falências

Senado pode votar na quarta-feira nova Lei de Falências 23/11/2020, 18h17 O Senado pode votar nesta quarta-feira (25) uma nova Lei de Falências. A proposta (PL 4.452/2020) autoriza financiamento mesmo em fase de recuperação judicial e permite uso de bens pessoais como garantia de empréstimo para...

Justiça autoriza divórcio unilateral de homem separado desde 2018

Vontade isolada Justiça autoriza divórcio unilateral de homem separado desde 2018 Relator considerou que eles já estavam separados há muito tempo e a demora atingiria o cotidiano de ambos. quinta-feira, 19 de novembro de 2020 A 12ª câmara Cível do TJ/PR concedeu antecipação de tutela para homem que...

Carf define que permuta de imóveis não entra no cálculo do IRPJ

OPERAÇÃO DISTINTA Carf define que permuta de imóveis não entra no cálculo do IRPJ 21 de novembro de 2020, 17h41 A permuta ocorre quando há troca de um ou mais imóveis entre as partes, não necessariamente por valores equivalentes — pode haver compensação financeira da diferença. Confira em Consultor...

O aumento da procura por planejamento sucessório durante a crise da Covid-19

O aumento da procura por planejamento sucessório durante a crise da Covid-19 18 de novembro de 2020, 13h07 Por Marcos Taverneiro e Ana Paula Gimenez Outro fator que inegavelmente motivou tal escalada na procura pelos projetos foi o sentimento do iminente aumento da carga tributária. Confira em...

Juristas não veem mais sentido no voto obrigatório

CRIME E CASTIGO Juristas não veem mais sentido no voto obrigatório 16 de novembro de 2020, 19h39   No Brasil, o voto ainda é obrigatório para maiores de 18 e menores de 70 anos. Ficam de fora dessa obrigatoriedade somente os analfabetos, os maiores de 70 e quem tem entre 16 e 18 anos. Leia em...