Multas pendentes de pagamentos não podem impedir licenciamento de veículo

Multas pendentes de pagamentos não podem impedir licenciamento de veículo e nem a renovação da CNH

Mas calma lá, tem uma ressalva nesse tema...

Paula Reis Advocacia, Advogado  Publicado por Paula Reis Advocacia há 20 horas

O condutor pode licenciar o veículo sem precisar pagar multa de trânsito pendente, ou mesmo renovar a sua CNH, desde que tenha protocolado junto ao órgão de trânsito defesa prévia, e a mesma ainda esteja pendente de julgamento.

O mesmo benefício se impõe aos casos em que as notificações das infrações de trânsito não chegaram à residência do condutor, e assim, o mesmo não teve a oportunidade de recorrer da penalidade e exercer seu direito constitucional ao contraditório e a ampla defesa.

Entretanto, para fazer jus a essas garantias legais, na maior parte das vezes o Condutor precisa acionar a justiça. Vale destacar que em matérias dessa natureza, o meio mais eficaz tem sido o Juizado Especial da Fazenda Pública, que vem sentenciando com celeridade, e combatendo as atitudes arbitrarias do Detran, em persisti na exigibilidade do pagamento de todas as multas, até mesmo as ainda pendentes de julgamento administrativo, para que o Condutor possa renovar, transferir ou licenciar o veículo, bem como, inclusive, para renovar a Carteira Nacional de Habilitação na ocasião de seu vencimento.

Em resumo, não pode haver a exigibilidade de pagamento de multa de trânsito para quem recorreu administrativamente e cujo procedimento administrativo não terminou. Nesse sentido, segue trecho de julgado recente sobre a questão:

“[...]

Desta forma, seja por não ter havido o término do procedimento administrativo, seja por ter sido ultrapassado 30 dias da interposição do recurso pelo Autor, sem o julgamento correspondente (protocolo em 28/08/2017, conforme documento de ID 10629014 - Pág. 1), não pode o Réu cobrar a multa objeto de recurso, devendo aguardar o seu julgamento para, somente após, proceder à sua cobrança.

[...]

Ante o exposto, após analisados todos os pontos trazidos pelas partes, tratados na fundamentação supra, JULGO PROCEDENTE os pedidos formulados na presente ação para condenar o Réu a suspender a cobrança da multa de trânsito vinculada ao licenciamento do veículo do Autor decorrente do auto de infração nº 278077-5/BA, bem como possibilite a renovação da CNH, até o julgamento final dos recursos administrativos apresentados pelo infrator.

[...]”

(SENTENÇA 8001107-95.2018.8.05.0001 Procedimento Do Juizado Especial Cível Jurisdição: Salvador - Região Metropolitana Advogado: Paula Da Silva Reis (OAB:0042550/BA) Réu: Detran- Departamento Estadual De Trânsito Da Bahia Sentença: Poder Judiciário - Fórum Regional do Imbuí 2ª Vara do Sistema dos Juizados Especiais da Fazenda Pública)

Assim, destacamos a importância de se recorrer de todas as notificações de infrações de trânsito, de forma tempestiva, ou seja, dentro do prazo indicado na própria notificação. Esse recurso (defesa prévia) pode ser feito pelo próprio condutor.

Caso o condutor queira uma defesa administrativa mais técnica e com maiores chances de, ao final, obter êxito quanto ao resultado do julgamento, deve procurar ajuda especializada, ou seja, o auxílio de um advogado ou escritório de advocacia, preferencialmente, que já trabalhe com ações dessa natureza.

Paula Reis Advocacia, Advogado

Extraído de Jusbrasil

Notícias

TJ-SP admite extinção de usufruto de imóvel arrematado em leilão

EFETIVIDADE DA EXECUÇÃO TJ-SP admite extinção de usufruto de imóvel arrematado em leilão 17 de outubro de 2018, 10h29 Por Tadeu Rover Segundo o processo, para fraudar a execução, o devedor simulou uma doação do imóvel aos filhos, reservando o usufruto vitalício a ele e à sua mulher. Leia em...
Leia mais

Homem deve indenizar ex-mulher por traição

Dano moral Homem deve indenizar ex-mulher por traição Juíza considerou que a infidelidade se deu com pessoa que era considerada da família e que trabalhava na empresa pertencente à autora. quinta-feira, 17 de janeiro de 2019 A juíza de Direito Clarissa Somesom Tauk, da 5ª vara da Família e...
Leia mais

Previdência para amantes: descalabro jurídico

Previdência para amantes: descalabro jurídico          Regina Beatriz Tavares da Silva* 17 Janeiro 2019 | 06h00 Em vários artigos anteriores (como aqui, aqui e aqui) já salientei a importância do julgamento pelo Supremo Tribunal Federal (STF) dos Recursos...
Leia mais

Artigo – É meu, seu ou nosso? – Por Marcia Dessen

Artigo – É meu, seu ou nosso? – Por Marcia Dessen Evite conflitos e escolha, antes de casar, o regime da comunhão de bens Nem sempre um casal decide e planeja o casamento. Muitas vezes, acontece aos poucos, e, de repente, estão casados ou vivendo em união estável. Independentemente da forma ou da...
Leia mais

O divórcio do homem mais rico do mundo e o pacto antenupcial

O divórcio do homem mais rico do mundo e o pacto antenupcial          Lucas Marshall Santos Amaral 11 Janeiro 2019 | 04h00 Jeff Bezos e MacKenzie Bezos estão casados há 25 anos. Foi nesse período que ele se tornou o homem mais rico do mundo. Porém, a vida de...
Leia mais

Afeto como elemento basilar da relação familiar

Afeto como elemento basilar da relação familiar    10/01/19 ÀS 00:00 André Vieira Saraiva de Medeiros A família sofreu inúmeras modificações ao longo dos anos e – por consequência do processo evolutivo – a concepção de parentalidade foi extensivamente alterada, sob influência direta da...
Leia mais

A opção extrajudicial de recuperação de empresas

A opção extrajudicial de recuperação de empresas 7 de janeiro de 2019, 6h24 Por Murilo Aires Na recuperação extrajudicial não há intervenção do Ministério Público, nomeação de administrador judicial nem mesmo prazo mínimo de dois anos de supervisão judicial. Confira em Consultor Jurídico
Leia mais
Dúvidas, consulte as fontes indicadas. Todos os direitos reservados